segunda-feira, 9 de julho de 2012

Aliens vs Predador 2 Requiem - 2007



Título Original: Aliens vs Predator Requiem
Ano de lançamento: 2007
Direção: Colin Strause, Greg Strause

Roteiro: Shane Salerno
Elenco: Reiko Aylesworth, John Ortiz,Shareeka Epps, Robert Joy

Sinopse: Gunnison, uma pequena cidade localizada nas montanhas da área central do Colorado. Uma nave dos predadores despenca no local, todos os passageiros estão mortos, com exceção de um alien híbrido e de larvas de aliens. As criaturas começam a se espalhar pela cidade e um caçador predador é enviado do seu planeta natal a cidade para destruí-los. Em meio a esta guerra há os humanos, residentes da pequena Gunnison, que assistem a esta batalha como vítimas e espectadores.



De todos os filmes que já vi na vida, AVP 2 foi o que mais despertou revolta. Primeiro, porque sou fã dos personagens - isolados, cada um no seu canto - e segundo porque apesar de todas as possibilidades e material rico nas mãos, os produtores, diretores e envolvidos nessa bagaça ainda conseguiram a proeza de fazer algo PIOR que o primeiro filme. Sim, eles conseguiram!

O problema, bom, são vários os problemas. Não que a ideia do filme seja desinteressante - o filme começa de onde o primeiro parou, com um híbrido de alien e predador matando todos os passageiros de uma nave predadora e coloca dois ícones do cinema de ficção, duas criaturas alienígenas conhecidas do cinema, para brigarem em uma cidade do interior norte americano. Ok, nada contra. Uma infestação de aliens em uma cidade qualquer que fosse nesse mundo seria o horror da humanidade, a perfeita visão do próprio apocalipse e o caminho para a extinção da espécie humana (olha aí uma ideia legal para se desenvolver no filme...). O filme traz também o primeiro vislumbre do planeta dos Predadores, outra boa ideia, inovadora, já que o planeta nunca foi mostrado em filmes anteriores, mas que é traída pelo próprio roteiro - só está ali de enfeite.


A coleção de crânios do Predador: personagem desperdiçado
em uma verdadeira doença cinematográfica
É o mesmo roteiro que empurra uma quantidade enorme de personagens desnecessários e mal desenvolvidos, que estão lá apenas para servirem de refeição alienígena. Não adianta atirar para envolvimento entre adolescentes, porque a loira burra só está lá para tirar a roupa e morrer mais tarde atarrachada numa parede, sem que ninguém se importe com ela. Não adianta atirar para barracos de família, já que o roteiro não se preocupa com drama algum. 



Nenhum dos atores funciona nessa doença cinematográfica  (são todos desconhecidos e péssimos) e a direção dos irmãos Strause não sabe o que fazer no filme. Não sabe criar tensão, não sabe criar suspense, não sabe usar os efeitos especiais. As cenas de ação são confusas - vide as sequências de caça do Predador em uma usina ou a dos esgotos, é um samba de crioulo doido, barulhento e sem graça.


O filme ainda apela para grosserias e idiotices para chocar - as vítimas vão de crianças indefesas a mulheres grávidas - apenas para saciar a vontade bizarra dos espectadores sequiosos por cenas estúpidas de mortes, sem nenhuma contextualização dentro da trama . A cena da grávida dentro do hospital e a cena com o berçario (sim, bebês também não são poupados pela fúria dos Strause), aliás, são as partes mais apelativas e ordinárias de todo o filme.
O Predalien, figura criada para vender bonecos
 
 
A fotografia do filme é péssima: o filme é escuro, de modo que não dá para saber o que acontece nas cenas, principalmente nas sequências envolvendo esgotos e a noite na floresta. E não vamos falar da trilha sonora, tão vagabunda quanto o filme, ou do aloprado Predalien, o filho mestiço de alien e predador. O Predalien teve sua primeira aparição oficial na minissérie em quadrinhos AVP: Duel, lançada em 1995, e ao contrário dos quadrinhos, em que soma uma ameaça terrível não só a extinção da espécie humana, mas às duas espécies as quais deriva, aqui tem uma função extremamente prestativa. Não, não falo de injetar seus filhotes em mulheres grávidas. Falo de vender bonecos para os retardados que se tornaram fãs dessa porcaria (sim, acredite, eles existem).

Quando AVP terminou, eu achava que a humanidade poderia estar a salvo pelo menos por um longo tempo de mais uma bomba como aquela - porque só alguém completamente insano poderia investir em uma continuação para aquilo e as críticas negativas deveriam desencorajar qualquer pessoa a dar continuidade a uma porcaria como aquela.

Pois bem, só Deus e eu sei o tanto de surpresa que tive quando anunciaram essa aberração cinematográfica que atende pelo nome de Alien vs Predador - Requiem. Porque apesar de ser um atentado cinematográfico, o primeiro filme fez relativo sucesso (se comparado ao seu custo, de 60 milhões, e arrecadou quase três vezes mais) se usando do apelo popular dos dois monstrengos. E perto disso aqui, reconheço agora que o primeiro filme dessa saga fadada ao fracasso é uma verdadeira obra de arte.

Cotação: 0/5

Preste atenção:

Se você não viu essa porcaria, ainda dá tempo de fugir dela!


TRAILER



Um comentário:

  1. Nota zero foi complacência! Essa coisa aí merece -4. Nunca fiquei tão bravo no cinema... Filme escuro, não se entende nada do que está acontecendo, roteiro totalmente absurdo e sadismo desnecessário. O filme quis impactar com morte de crianças e grávidas, mas ficou um negócio vazio e de mau gosto... talvez a única coisa que salva no filme é o final onde eles colocam uma personagem nominada Yutani... só pra dizer que os Strause assistiram a quadrilogia canônica do Alien... mas enfim, é ruim demais e ponto...

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...