quarta-feira, 25 de julho de 2012

Arraste-me para o inferno - 2009




Título Original: Drag me to hell
Direção: Sam Raimi
Roteiro: Sam Raimi
Ano de lançamento: 2009
Elenco:Alison LohmanJustin LongJessica Lucas 
Sinopse: Los Angeles. Christine Brown (Alison Lohman) trabalha como analista de crédito e vive com seu namorado, o professor Clay Dalton (Justin Long). Um dia, para impressionar seu chefe, ela recusa o pedido de uma senhora (Lorna Raver) para conseguir um acréscimo em seu empréstimo, de forma que possa pagar sua casa. Como vingança ela joga uma maldição sobrenatural na vida de Christine.


Por Tia Rá


Vai um suquinho aí?
Bizarro, cheio de nojeiras e divertido, Sam Raimi ratifica o seu dom para criar filmes de "terrir" nos moldes de "Uma noite alucinante" com esta pérola. 

Esqueça a trilogia do Homem Aranha, que catapultou a carreira do diretor para as estrelas entre os anos de 2002 e 2007 e encheu os cofres do estúdio da Columbia Pictures com o sucesso do aracnídeo. Aqui, Raimi volta ao gênero que o revelou num filme barato e sem muitas pretensões ou pressões de público e de estúdio. 

No arremedo de trama, Christine trabalha em um banco que nega crédito para uma velha, Sylvia Ganush, que está com os pagamentos atrasados. A velha implora para que lhe dê uma chance para pagar os débitos e para que ela não perca suas coisas, mas Christine, para impressionar seu chefe, acaba negando mais tempo para ela. Revoltada, a velha lança uma maldição invocando um demônio e Christine vai comer o pão que nem o diabo quis amassar por causa disso.

Com esse fiapo de enredo, sem explorar personagens e a profundidade psicológica deles, o filme segue com uma desculpa para misturar risos, sustos, música histérica e cenas que remetem a outros filmes do gênero terror. Formulaico, o roteiro sempre dá uma pausa explicativa para o público, sobre o que está acontecendo com a personagem, para logo depois fazer suspense com efeitos sonoros e cenas de terror e imundícies - como na sequência em que Christine vai jantar com os pais do namorado ou quando vê sua casa invadida pelo capeta, que quebra tudo e a força a matar o seu próprio gatinho em sacrifício, no desespero de se livrar da besta.

Tô gatannn!
Alison Lohman está bem como a caipira atormentada pelo espírito de Lamia, mas a personagem mais divertida é mesmo a velha cigana macumbeira Sylvia Ganush. A velha tem um olho doente e sua dentadura horrorosa vive escapando de sua boca. Ajuda na sua aparência assustadora o seu ar decrépito deplorável, com maquiagem carregada e aquele ar de que já morreu faz tempo. Ao lançar a maldição sobre a coitada da menina, a velha começa a atormentá-la de todas as formas, seja dentro de um carro, numa luta bizarra e absurda, seja nos seus sonhos, vomitando suas nojeiras - ou  ainda depois de morta, babando porqueiras na boca na coitada. É de lascar de rir. 

Hilária também é a parte da vidente cabocla Sandina, que encarna o demônio Lamia e que é passado para um bode que acaba incorporando o demo e falando com Christine - numa cena tosca de matar, digna de núcleo cômico de novela mexicana - e que resulta em um vômito de um gato e uma sessão trash de exorcismo. No auge da bizarrice, Christine se vê brigando até com um lenço assassino pertencente a velha Ganush e, de acordo com lendas de um parapsicólogo e médium fuleiro - parente da Tia Rá aqui -, ela precisa passar o objeto amaldiçoado pela Ganush  para outra pessoa, livrando-se da maldição, o que vai resultar em mais outra briga insana dentro de uma cova com o cadáver da velha.

Sandina e a sessão trash
de exorcismo
"Arraste-me para o inferno" é um trash e se assume como tal desde o primeiro momento, no uso de efeitos especiais toscos e de caricaturas, quase como uma paródia no gênero horror, com cenas comuns ao gênero. A maior parte de seus personagens não tem importância alguma - o chefe de Christine, o parceiro ambicioso dela no trabalho, ou o namorado e seus pais, estão lá apenas para representarem o ceticismo em conflito com suas crenças e são meras desculpas para colocar a personagem em situações bizarras. Reparem que o namorado não acredita no que ocorre com ela até o final. Isso sem falar nos personagens que chegam, participam aqui e ali e somem - os pais do namorado, a velha Sandina e a filha de Ganush são casos gritantes. 

Mas convenhamos. O filme é apenas um divertido passatempo. Desligue seu cérebro e curta. Se você procura algo mais, fuja - antes que a velha Ganush apareça e lhe jogue uma maldição! 

Cotação: 3/5

Nunca um botão de uma roupa trouxe tanto problemas a alguém quanto o da pobre coitada da Christine. Mas Tia Rá acha que a velha Ganush é a DIVA demoníaca que faltava em sua vida! Ganush é poder, Ganush é muito amor, é luxo, é insanidade gente! INVEJA TOTAL DESTA DEUSA ABSOLUTA DA MAGIA NEGRA! 


TRAILER



2 comentários:

  1. Drag me to hell me fez rir, coisa que muitas comédias não tem feito. Adorei o fato de ter se assumido a baboseira que é, de modo que fica gostoso (não queria usar essa palavra justo pra esse filme, mas) ver as sandices que acontecem a cada minuto. Adorei a volta de Raimi ao gênero de origem, tomara que venham mais como esse por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Grasi!

      Obrigado pelo comentário!

      Verdade, ri mais com esse filme do que em muitas comédias, uma ótima cortesia do tio Raimi. Espero que venha mais como esse também! rs

      E Sylvia Ganush, a diva do vômito fanta uva, é um capítulo a parte! rs

      Abraços e obrigado mais uma vez! =D

      Excluir

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...