segunda-feira, 30 de julho de 2012

Trilha Sonora - Jogos Vorazes - 2012 (The hunger games, 2012)



James Newton Howard teve grandes momentos em sua carreira, ao investir em trilhas sonoras sensíveis, agradáveis e eficientes dentro dos filmes que as originaram e igualmente eficazes em uma audição fora deles. Foi assim com King Kong (2005),  com Batman Begins (2005, ao lado de Hans Zimmer), A vila (2004), Dinossauro (2000), dentre outros. 

Newton Howard já foi produtor e arranjador de muitos astros talentosos do mundo pop, como Yes, Kansas, King Crimson, Genesis, Nilsson, Leo Sayer, Carly Simon, Ringo Starr, Diana Ross, Melissa Manchester, Elton John, Chicago, Olivia Newton-John, Chaka Khan e Earth Wind and Fire, uma prova de sua habilidade em criar sons e melodias que "grudam" na cabeça do ouvinte, com uma aura pop inconfundível. Ele consegue transitar entre diversos temas, seja de ação ou romance, com a mesma qualidade - diferente de Hans Zimmer, por exemplo, que às vezes soa grosseiro e pesado demais.

Seu som é sempre "clean" e o compositor tem como marcas essa leveza e sensibilidade em suas composições (com uso de piano muitas vezes), sempre bastante melódico. É também um compositor rápido e eficiente: a trilha de King Kong foi feita às pressas em cinco semanas, e atire a primeira pedra que não se emocionar com as excelentes "Central Park", "Beautiful" ou "A fateful meeting" da trilha, quando as mesmas sobem durante o filme ou quando a ouvimos separadamente viajamos diretamente para as cenas.

Aqui, na trilha instrumental de Jogos Vorazes - não me admiraria se ele recebesse indicação ao Oscar - Howard também foi feliz, substituindo Danny Elfman. Ele faz um trabalho contido, sem arrombos como em outras de suas trilhas, mas extremamente agradável e bonito, porque as vezes, o menos é mais. As quatro primeiras faixas aqui transmitem uma sensação de leveza e sensibilidade, tem algo de rústico, de interiorano, quando um instrumento de cordas entra no tema "The hunger games", por exemplo. No quarteto inicial, o destaque fica por conta da simples e emocionante "The train". 

Até na hora da ação, em "Entering the capitol", "Preparing the Chariots", "The Countdown", James se sobressai à concorrência, criando faixas impactantes de ação que não são pesadas, e ainda assim são tensas e melódicas. Um coro entra eficientemente em "Horn of Plenty", vibrante, acompanhado de um tema com ares pop

"Penthouse" evoca o tema "The hunger games" do começo da trilha, de novo misturando instrumentos de cordas e incorporando a ação e o suspense - mas o resultado aqui é genérico, assim como em "Learning the Skills". Há mistério em "Booby Trap", faixa que funciona dentro do filme, não fora dele. Preste atenção na dramática "Healing Katniss", e ao som de um dramático violão, e em "Rue's farewell", uma espécie de new age - só imaginei e Enya chegando no meio e soltando a voz. Bela, triste, dramática e relaxante como "We could go home".

Achei "Searching for Peeta" bola fora. "The cave" é suspense, "Muttations", apesar de boa para a ação dentro do filme, não funciona - embora a última parte, dramática, tenha seu encanto. "Tenuous Winners" fecha encantadoramente a trilha.

O saldo final é positivo. Joga contra o trabalho de Howard o fato de não haver um tema marcante, uma música que marque nossos ouvidos. A trilha convida o ouvinte a retornar, sim, é bonita, bem feita, equilibrada, mas ela não é inesquecível como outros trabalhos do compositor. De toda forma, James Newton Howard sai na frente no quesito trilha sonora este ano. Não é a redenção, mas em um ano de vacas magras, Newton Howard parece que vem se sobressaindo (é dele também a boa trilha de Branca de Neve e o Caçador, lembremos).

O espírito Country de algumas faixas, que incorporam violão, está presente também na trilha sonora cantada, que inclui a - horrível - Taylor Swift, com sua voz de garça com dor de barriga, em uma música tema, "Safe & Sound", que, depois daquela ouvida básica, você vai querer ouvir "My heart will go on", tema de Titanic, pelo resto de sua vida. Ela também empresta sua parca voz para "Eyes open", que de tão horrível vai lhe causar enxaqueca e dores de ouvido. Palavras da Tia Rá, lembrem-se, macumbeira vidente profissional.


Cotação 3,5/5

Não é o melhor trabalho de James Newton Howard, mas sigo fiel a ele. Vale a pena conferir.

2 comentários:

  1. Essa trilha sonora é uma das melhores do ano! não consigo parar de ouvir!
    discordo com você na faixa 'Searching for peeta' pra mim é a melhor do cd,a montagem da cena ficou maravilhosa! rs

    ResponderExcluir
  2. Oi, Catherine!

    Que bom que gostou, também gostamos muito e sim, me parece que é uma das melhores do ano pelo menos até agora. Apostamos alto aqui no blog em James Newton Howard e ele fez o trabalho direitinho, né?

    Realmente, tem algumas faixas que caem na graça de um ou de outro ouvinte, mas o certo é que o conjunto da obra é bom! Vamos até conferir de novo essa trilha... Sabe que deu vontade de ouvir de novo? rs

    Obrigado pela participação! =D

    Bjs da tia Rá!

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...