domingo, 1 de julho de 2012

Zodíaco



1º de agosto de 1969. Três cartas diferentes chegam aos jornais San Francisco Chronicle, San Francisco Examiner e Vallejo Times-Herald, enviadas pelo mesmo remetente. A carta enviada ao Chronicle trazia a confissão de um assassino, dando detalhes da morte de 3 pessoas e da tentativa de homicídio de outra, com informações que apenas a polícia e o assassino poderiam saber. As três cartas formavam um código que supostamente revelaria sua identidade ao ser decifrado. O assassino exigia que as cartas fossem publicadas, caso contrário mais pessoas morreriam. Um casal de Salinas consegue decodificar a mensagem, mas é Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), um tímido cartunista editorial, que descobre sua intenção oculta: uma referência ao filme "Zaroff, o Caçador de Vidas" (1932). Os assassinatos e as cartas se sucedem, provocando pânico na população de San Francisco. A situação faz com que os detetives David Toschi (Mark Ruffalo) e William Armstrong (Anthony Edwards) e o repórter Paul Avery (Robert Downey Jr.), que trabalham no caso, tornem-se celebridades instantâneas. Graysmith, que trabalha no mesmo jornal de Avery, apenas ajuda quando lhe é permitido. Mas o Zodíaco, como o assassino era chamado, estava sempre um passo a frente.

Tá achando de vida de detetive é fácil?


Por que ver?

Sua narrativa, embora lenta, é permeada por um climão de suspense do início ao fim. Não se trata de um suspense comum, um simples jogo de gato e rato. O filme possui teor dramático também e foca no processo de investigação e nos efeitos que este evento causa na vida de três homens: O cartunista Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), que aficionado por enigmas, resolve investigar os crimes por conta própria e também autor de um livro sobre o criminoso. O detetive David Tolschi (Mark Ruffalo), responsável pelo caso e se transforma cada vez mais num homem frustrado por não conseguir solucioná-lo e o repórter policial Paul Avery (Robert Downey Jr) que se envolve no caso de tal forma que acaba perdendo o controle sobre si mesmo, se entregando ao vicio das drogas. O roteiro bem amarrado e rico em detalhes e a direção sempre segura de David Fincher criam um clima de tensão do início ao fim. O elenco todo está sensacional, especialmente a trinca de protagonistas. Jake se sai muito bem como rapaz tímido e aparentemente, que aos poucos se torna obcecado por solucionar um mistério sem aparente solução. Mark Ruffalo excelente como policial que com o passar dos anos vai perdendo aquele vigor da juventude e se tornando um homem frustrado e descrente. Robert Downey Jr. dispensa comentários, como um grande repórter que se envolve mais do que deveria no caso e acaba destruindo sua carreira e reputação. Tudo isso acompanhado de uma boa trilha sonora, fotografia, direção de arte e figurinos que recriam o período que vai do final dos anos 60 a início dos anos 90.

Não é o que está pensando.


Por que não ver?

Não se trata de um suspense comum, onde o público tenta descobrir quem é o assassino, esse não é o foco. O filme é lento e longo e pode decepcionar aqueles que esperam alguma surpresa no final.

Olha como eu sou estiloso com minhas costeletas "séquissis" e minha gravatinha borboleta.


Preste atenção: Em tudo, nos detalhes, na evolução dos personagens, em tudo e em todos.

Nota: 5/5 Ravenna Morgan aprova essa obra irretocável de David Fincher.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...