terça-feira, 21 de agosto de 2012

Dirty Dancing: Ritmo Quente - 1987 (Dirty Dancing, 1987)



Título Original: Dirty Dancing
Ano: 1987
Direção: Emile Ardolino
Roteiro: Eleanor Bergstein
Elenco: Patrick Swayze, Jennifer Grey, Jerry Orbach, Cynthia Rhodes
Sinopse:Frances Houseman, conhecida como Baby, está passando férias com a família num resort nos Catskills. Um dia, ajudando Bob a carregar melancias, ela descobre onde os funcionários do hotel se divertem e dançam. Lá conhece Johnny Castle, o instrutor de dança, e acaba se apaixonando por ele. Quando Penny, a parceira de dança de Johnny, fica grávida ao se envolver com um dos garçons, ela pede a Baby que dance em seu lugar. Mas o pai de Baby não aprova, pois considera Johnny um irresponsável por, supostamente, ter engravidado Penny e pedido que fizesse um aborto.

Por Lady Rá

O clássico Dirty Dancing completa hoje 25 anos de estréia. Esse é um filme que aprendi a gostar com o tempo. Na primeira vez que o assisti (na TV aberta) não me agradou muito, pois me pareceu apenas um romance bobo entre a menina rica certinha e o cara pobretão rebelde com ótimos números de dança. Mas ao contrário do famoso dito popular, a primeira impressão nem sempre é a que fica. Aos poucos fui sendo conquistada pela história dos personagens, Baby Houseman, uma estudante de família rica que vai passar férias de verão em um hotel e Johnny Castle, professor de dança do lugar.

O retrato de uma geração

Dirty Dancing foi em grande parte inspirado na juventude da roteirista Eleanor Bergstein. Em um momento de sua vida ela passou as férias de verão em um hotel de promovia concursos de dança. Bergstein ofereceu o roteiro a vários produtores, ouviu muitos “nãos” até conseguir o modesto financiando de seis milhões de dólares para a produção. Jennifer Grey foi escolhida para o papel de Baby Houseman pelo fato dela saber dançar, pois a produção não queria usar dublês para que as cenas de dança fossem realistas. Já Patrick Swayze não foi a primeira escolha para o papel de Johnny Castle, Billy Zane chegou a ser cotado, porém ele não foi bem nos testes de dança (graças a Deus). Patrick Swayze se saiu muito bem nos testes e sua química com Jennifer agradou a produção. Ao término das filmagens, o filme custou para conseguir um distribuidor, mas no fim das contas foi um grande sucesso de bilheteria nos ano de 1987. O filme arrecadou 64 milhões de dólares nos Estados Unidos e 214 milhões mundialmente. Embora tenha sido mal recebido por grande parte da critica especializada.

Mas qual seria o motivo de tamanho sucesso? A verdade é que histórias de amor nunca saem de moda, e  Dirty Dancing, é muito mais do que uma história de amor proibido com números de dança. A história se passa nos anos 1960 (no verão de 1963 pra ser mais exata), nesta época o mundo vivia uma verdadeira revolução no comportamento dos jovens, com a dita “perda da inocência”. As mulheres não queriam apenas casar e ter filhos, sexo começava a deixar de ser tabu, os jovens questionavam as atitudes do governo e faziam protestos. E dizer que Baby é uma mulher à frente de seu tempo, é lugar comum, mas a verdade é que sim, ela é uma autêntica representante desde segmento de jovens intelectuais, de mente aberta e que querem transformar o mundo. Criada no seio de uma família rica e tradicional, Baby nunca deixa de olhar para além de seu mundo aparentemente perfeito. Já Johnny é um jovem pobre, com seus sonhos reprimidos pela dura realidade, ele representa a rebeldia, a juventude fugaz, que vive o presente. Ele, ao contrário de Baby, teve que aprender a se virar desde cedo, e por isso encara de vida com olhar nada otimista.

Questão social

O filme promove o encontro entre esses dois mundos quando Baby se encanta por Johnny. A princípio Johnny a rejeita, pensando que ela é apenas uma garota rica se mete no meio dos pobres por diversão - dessa forma percebemos o quão pessimista é a forma como Johnny enxerga a vida. E isso é perceptível no decorrer do longa, quando o rapaz se mostra naturalmente conformado ao ser tratado com preconceito pelo pai de Baby e pelo dono do Hotel. Ou até mesmo em uma conversa que ele tem com Baby, quando ele assume ser uma espécie de objeto sexual para as senhoras ricas que freqüentam o hotel -, mas sua opinião sobre ela muda quando Baby se oferece para ajudar Penny, uma amiga de Johnny que está grávida de um garçom. O fato é que a moça é sozinha no mundo e não tem recursos para criar um filho, e opta por um aborto e Baby o financia. A jovem fica impossibilitada de dançar e Baby acaba se oferecendo para se apresentar no lugar de Penny. A partir daí, Baby e Johnny começam a se envolver amorosamente, o que desencadeia uma série de acontecimentos transformará suas vidas.

Além de representar um período de transição no comportamento de uma geração, o filme ainda levanta questões como preconceito e diferenças de classes socais. O pai de Baby, um bondoso chefe de família quando descobre o envolvimento de sua filha com Johnny se coloca contra a relação, acreditando que ser ele o responsável pela gravidez de Penny, e trata bem o namorado da outra filha, pelo fato de ser de “boa família”. Sua compreensão e bondade só se aplicam aos ricos. Aliás, uma das cenas mais bacanas do filme é quando Baby confronta o pai e questiona sua maneira de julgar o caráter das pessoas.

Ritmo quente:

Mas quando se fala em Dirty Dancing, as pessoas logo são remetidas aos belos números musicais e a maravilhosa trilha sonora. Alias, isso foi a primeira coisa que me chamou atenção. A começar pela introdução em que mostra vários casais dançando em câmera lenta, antes de apresentar a história. Depois temos a exuberante apresentação de Johnny e Penny no salão do hotel. As cenas em que Johnny ensina Baby a dançar (cenas que foram editadas com um videoclipe, ao som da belíssima Hungry Eyes) são um show de sensualidade. E ainda teve espaço para o cômico com a primeira apresentação de Baby substituindo Penny. Aliás, aquela cena, Jennifer que é uma exímia dançarina assim como era Patrick Swayze, deu um show de interpretação, mostrando a insegurança de quem ainda estava em fase de aprendizado. E por último a icônica dança final ao som de I’ve had (The time of my life). A seqüência inteira é bacana, Johnny havia sido demitido por ter se envolvido com Baby, mas resolve retornar para a última dança. A cena em que ele chega até a mesa onde se Baby estava com os pais e diz “Ninguém deixa Baby num canto”, tornou-se uma das mais célebres do cinema. A envolvente trilha sonora dispensa meus comentários, é clássica.

Jennifer Grey e Patrick Swayze

Alguns atores parecem ter nascido para certos personagens. É o caso de Jennifer e Patrick. Eu não consigo imaginar outros atores nos papéis de Baby e Johnny, embora não considere a atuação de nenhum dos dois grandiosa, pode parecer contraditória, mas mesmo assim, acredito que eles foram nasceram para esses papéis No caso de Baby, Jennifer se encaixou como uma luva. Ela não se encaixa exatamente nos padrões de beleza das estrelas de cinema e justamente por isso deu certo. Baby é uma garota comum, não tem grandes atributos físicos, o que ela tem de interessante é a personalidade. E isso faz com que ela seja bela. Há uma cena em que  sua irmã Lisa (fisicamente mais bonita, porém fútil e pouco inteligente) finalmente parece enxergar a verdadeira Baby e nesse momento ela diz: Você é bonita!

Não há outro ator que pudesse interpretar Johnny Castle como Patrick Swayze. Johnny tem dentro de si um misto de rebeldia, delicadeza e virilidade que o ator soube expressar muito bem. Isso sem mencionar seu talento natural para dança. Vale lembrar que Patrick era um bailarino profissional. E ele ainda interpreta um das belas canções do filme “She is like the Wind”, cuja letra que foi co-escrita por ele, se encaixa perfeitamente na história.




Cotação: 3/5

Apesar de todos esse elogios, não dou nota maior porque o filme peca pelos clichês, melodrama e frases feitas em certos momentos, perdendo um pouco de sua força dramática. Enfim, penso que Dirty Dancing não é um grande filme, mas sem dúvida é notável. Ou não seria o sucesso que é, ainda hoje. Afinal, o filme marcou uma geração  e conquista outras mais novas.  




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...