quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

A ENTIDADE - 2012 (Sinister - 2012)



Título Original: Sinister
Ano de lançamento: 2012
Direção: Scott Derrickson
Roteiro: C. Robert Cargill, Scott Derrickson
Elenco: Ethan Hawke, Vincent D'Onofrio, Juliet Rylance
Sinopse: Ellison (Ethan Hawke) é um jornalista famoso e temido por apontar denúncias de irregularidades, sempre em busca de sua próxima grande história. Quando ele descobre uma caixa com velhas fitas de vídeo em seu sótão, ele encontra filmagens assustadoras que poderiam ser a base de seu maior livro – mas somente se ele puder juntar a sequência de assassinatos que esses filmes apresentam.


Por Jason

Ethan Hawke faz um escritor policial que está perseguindo um novo sucesso, mas a família está em crise, já que seu o ultimo sucesso dele foi dez anos antes. Ele se muda para uma casa que foi alvo de um assassinato - a família foi morta enforcada no quintal. Assim, ele está na cena de um crime tentando descobrir o que aconteceu e o ato nao é visto com bons olhos pela policia - nem pela esposa. Ele descobre que na casa para onde se mudou há uma serie de videos que mostram famílias passando temporadas juntas, como se fossem observadas, para depois serem assassinadas coletivamente. 

Aos poucos, o escritor começa a juntar os fatos. Nos filmes, há uma figura estranha, comum a todos eles. Não se sabe contudo o que acontece com um dos integrantes de cada família - cada criança de cada núcleo familiar. Ao investigar, o escritor acaba sabendo que há em cada filmagem um simbolo de ocultismo, que diz respeito a uma entidade - a tal entidade do título - que leva as crianças para o outro mundo, onde ele as devora.

A primeira hora do filme é perfeita para criar o suspense necessário e prender o espectador. Transitando entre o policial e o sobrenatural, o filme se defende - e vale aqui a presença de Ethan Hawke, que se dedica - e acredita - no papel. O mesmo vale para a performance das crianças e da esposa, todas convincentes. É impossível desgrudar os olhos dos filmes encontrados dos crimes, filmados em Super 8, quando uma trilha sonora macabra sobe ao fundo - e as cenas dos assassinatos prosseguem. Há um mistério assim, que o escritor precisa desvendar, uma vez que ele inevitavelmente começa a fazer parte do processo e a vivenciar aquele terror. Por outro lado, o diretor Scott Derrickson, de O exorcismo de Emily Rose, garante ao espectador um susto aqui e ali. Ele consegue criar em certo momento a dúvida no espectador se o assassino é apenas um serial killer que comete crimes ritualísticos ou uma entidade - ou, quem sabe, as duas coisas.

Mas o roteiro do filme é formulaico, esquemático, e cheio de clichês no gênero. Claro que ele tem que embutir o drama mal acabado da família que está desestruturando. Depois de uma hora de filme, "A entidade" começa a mostrar um lado sobrenatural capenga digno de filme trash, com almas - ou seja lá o que for aquilo - das crianças passeando pela casa e atormentando o escritor. É daí que o filme esbarra numa rocha e começa a naufragar.  Há, óbvio, as visões do personagem e, há, mais uma vez, aquela parte de negação, bem como o ceticismo (na figura do policial) e personagens como o professor Jonas que entram e saem da trama apenas para explicar ao escritor - e ao espectador - um pouco mais da parte sobrenatural. 

E tome trilha sonora subindo sem parar para fazer o básico que outros filmes genéricos lançados todos os anos sempre fazem. O diferencial, que era o suspense estabelecido na primeira hora, vai por água abaixo até o final. E que final... ordinário! Se "A entidade" apostasse em um resultado real, em detrimento do sobrenatural, o resultado seria acima da média. Mas ao apostar de vez em uma idiotice sem tamanho, com uma sequência de apelo trash, o resultado é uma pá de cal no trabalho e na cara do espectador. 

Cotação: 2/5

Vale como passatempo e para tomar alguns sustos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...