sábado, 12 de janeiro de 2013

XX/XY (2002)



Título Original: XX/XY
Ano: 2002 (lançado em DVD)
Direção: Austin Chick
Roteiro: Autin Chick
Elenco: Mark Ruffalo, Maya Stange, Kathleen Robhertson
Sinopse: Sam e Thea conhecem Coles numa festa da universidade e a imediata atração entre eles resulta numa noite de paixão que marca o início de uma estranha união. A amizade e promiscuidade da relação entre os três é porém posta à prova com o incipiente romance que surge entre Sam e Coles, acabando por se dissolver numa onda de medo, desconfiança e ressentimento. Dez anos mais tarde os três colegas da universidade se reencontram, tendo que lidar com sentimentos do passado.

Por Lady Rá


Por que ver?

Talvez você de alguns atores envolvidos neste filme. Quando a gente gosta de determinados atores, sempre assistimos a tudo que eles fazem. No caso aqui é Mark Ruffalo A maioria dos filmes dele  que vi eu gostei. Alguns mais, outros menos. Porém, esse aqui é um caso sério, porque eu realmente odiei. Esse é sem dúvida um dos piores filmes que eu vi na minha vida. Mas ele atua bem, nada excelente, não mostra metade de seu talento nesse filme, obviamente prejudicado por uma trama sem noção e um personagem desinteressante.


Por que não ver?

Porque esse filme é extremante chato, sem sentido, sem propósito e a única explicação para o ator ter feito esse filme é porque estava engatinhando na carreira e não podia desperdiçar oportunidades. Enfim, a sinopse chama a atenção, pois parece que aqui teremos um bom filme sobre relacionamentos ou que traça um perfil da juventude e suas expectativas com relação ao amor, ao sexo, whatever... O problema é que o longa não é uma coisa nem outra. Na tentativa de mostrar um retrato íntimo de uma juventude que só quer viver intensamente sem pensar no futuro o filme falha, pois o roteiro não mostra diálogos nem situações que façam o público se identificar minimamente com esses jovens. Os personagens são aborrecidos, desinteressantes. Quando não estão bebendo, estão transando, ou vomitando, ou usando drogas, ou escovando os dentes, falando banalidades.

Em certos momentos o roteiro tenta inserir alguns diálogos “maduros”, tentando dar ao filme um ar de seriedade que ele não tem, mas isso só ocorre aqui e ali. Por exemplo, quando Sam tenta questionar Coles sobre o que ele espera da vida. O protagonista Coles (Ruffalo) é um desorientado, que quer ser cineasta, se envolve com duas garotas ainda mais chatas e desorientadas do que ele, Sam e Thea. Fica difícil falar sobre os personagens, porque são porcamente desenvolvidos. O roteiro ainda tenta emplacar um romance pouco convincente entre Coles e Sam e uma separação mais absurda ainda, para que dez anos depois, eles se reencontrem, cada um com sua vida aparentemente estabilizada, e ainda se sintam atraídos. Aí acontece mais uma sucessão de nada, para não dar em nada. Não há força na trama, não há personagens com os quais o público possa se identificar, se envolver. Enfim, é um filme sem graça. Com uma direção típica de uma novela ruim da Globo.

Cotação: 0/5

Perda total de tempo.


TRAILER


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...