quinta-feira, 14 de março de 2013

O caso Roswell - 1994 (Roswell - 1994)




Título Original: Roswell
Ano de lançamento: 1994
Direção: Jeremy Kagan
Elenco:
Bob Gunton (Frank Joyce)
Charles Hallahan (Older Pilot MacIntire)
Charles Martin Smith (Sheriff Wilcox)
Doug Wert (Older Jesse Marcel, Jr.)
Dwight Yoakam (Mac Brazel)
Eugene (I) Roche (Eugene Roche)
John M. Jackson (Coronel Blanchard)
Kim Greist (Vy Marcel)
Kyle MacLachlan (Jesse Marcel)
Martin Sheen (Townsend)
Nick Searcy (Mortician)
Ray McKinnon (Joe Pritchard)
Xander Berkeley (Sherman Carson)
Sinopse: Novo México, 1947. Major da força aérea (MacLachlan) investiga destroços de uma nave espacial, encontrados por fazendeiros. Os envolvidos são forçados pelo Pentágono a se calar e a negar à imprensa e à população local informações sobre a descoberta. Durante trinta anos, apesar das pressões que recebe, o oficial investiga por conta própria o acontecimento até que um dia chega a conclusões surpreendentes.

Por Jason


O caso Roswell é um filme interessante. Primeiro, pela seriedade, simplicidade e sobriedade com que trata o tema - todo mundo já deve ter ouvido falar neste que é o incidente mais famoso e intrigante da ufologia mundial. Segundo, pela forma quase didática que o desenvolve, de maneira que é impossível não entender o que movimenta o personagem na sua velhice - a busca por uma verdade que nunca virá. Terceiro, não menos importante, por ter sido feito para a TV mas ser bem produzido, e por último, por trazer total ausência de dramaticidade.

No filme, MacLachlan interpreta o major Marcel que, como nos conta a história, teve contato com os destroços de um disco voador que caiu no Novo México. Ou não, afinal, ninguém sabe o que realmente aconteceu em 1947. O filme apresenta a visão de Marcel, muito mais interessante diga-se de passagem, como sendo verdadeira, versão esta que é cortada pelas forças armadas, que tentam desmistificar o acontecimento e enterrar de vez questionamentos a respeito da veracidade dos fatos. Marcel é forçado a negar o que encontrou, mesmo mostrando para o seu filho e para sua esposa, tem sua reputação abalada, é traído por aqueles que julgava ser amigos e ressurge anos depois procurando resolver o caso e ter um pouco de paz de espírito. 

Os problemas do filme são evidentes. Há um conflito bem raso no seu núcleo familiar - o filho quer que ele deixe a questão enterrada, a esposa se mantém em cima do muro até tomar uma posição enquanto o filme vai e volta no tempo, para explicar o que, trocando em miúdos, é aparentemente inexplicável. MacLachlan é um ator canastrão e a chegada de Martin Sheen na trama elucidando o caso não acrescenta nada em termos de interpretação ou destaque - ele está lá para agregar valor com seu nome ao filme. A recriação de época é boa, mas a maquiagem dos atores mais velhos é deficiente e barata. E falta, MUITO, estofo dramático ao time - não há comoção em nenhum momento da trama.

Claro que, nessa história toda, cada um dos envolvidos aumentou um ponto - e aqui temos que dar o mérito a habilidade do roteiro na primeira e na segunda parte do filme (há ainda uma terceira, que falarei mais adiante). Na primeira e segunda partes, temos o desenrolar da trama em cima do que despencou do céu, que era apenas um objeto, com uma liga estranha, que ao ser amassada ou cortada, retornava para o seu estado original.  Não possuía parafusos, não tinham emendas, como se fosse uma peça única de uma tecnologia desconhecida impossível de ter sido criada por homens. Não se sabia se o objeto era movido a motores - porque ninguém achou nada. Os destroços e a área foram vistos por muitas pessoas. A área foi fechada para impedir o avanço dos curiosos. O caso, porém, tomou proporções incontroláveis com a entrada maciça das forças armadas, que tentaram desmentir versões dos fatos - incluindo a do fazendeiro que encontrou os destroços - com suborno e todo tipo de ameaça, o que chamou a atenção imediata da imprensa. 

A partir daí, entramos na terceira parte, quando começaram relatos de que havia passageiros no objeto, que eles se comunicaram com os homens e explicaram coisas como o próprio desenvolvimento da humanidade e a interferência alienígena na mesma. É aqui que o mistério desanda - a opção pela direção de mostrar as criaturas transforma o filme quase em um Cocoon. O filme deixa de ter seu ar de conspiração e dá lugar a efeitos especiais e ao momento "ficção", com uma das criaturas fazendo contato com um dos homens presentes na sala de interrogatório - o filme parece tomar um rumo completamente diferente do que tinha estabelecido. É também o momento, quando o espectador  que está prestando atenção nos diálogos, começa a suspeitar de algumas ações dos personagens envolvidos nessa história levantando questionamentos que o filme não responde. 

Suponhamos que o que caiu do céu era realmente de outro mundo, que havia tripulantes nele, eles foram capturados - e os homens estabeleceram comunicações com um deles, o sobrevivente. Se Marcel sabia que o material encontrado no local pertencia a um disco voador, porque ele não guardou os pedaços do material, escondido, ao invés de simplesmente os entregar ao exército? Onde as outras criaturas anunciadas como visitantes pelo alienígena estão e porque não voltaram a aparecer? Porque simplesmente não aparecem para todos? Agora, supondo que o objeto que despencou do céu era apenas um balão metereólogo:  Qual o motivo de se envolver tantas pessoas e o interesse do exército? Por qual razão o fazendeiro mobilizaria toda uma sociedade para mostrar os restos de um objeto que todos conheciam? Porque tantas pessoas acabaram mudando de opinião com o tempo, modificando seus testemunhos? Qual a necessidade de solicitarem caixões herméticos para conservar corpos, se era apenas um balão metereólogo? 

Essas e muitas outras questões surgem assim como muitas teorias a respeito do Caso Roswell surgiram com o tempo, algumas até bizarras, em que se propagam que os corpos nada mais eram do que bonecos (como os usados nos Crash Tests de automóveis, que não eram conhecidos pela população da época e só foram fabricados quase uma década depois - o filme não explora isso) mas não explica o motivo do uso de caixões para embalar estes bonecos, ou seja, a maioria com a tentativa de sepultar o assunto e encerrar o caso principalmente na década de 90. 

O caso continua rendendo. E o mistério permanece.

Cotação: 3/5

Filme está completo no Youtube.




3 comentários:

  1. o filme é bacana e quem não gostar favor consultar um proctologo, pra ver se não tem uma sonda alienígena ENFIADA NO CU!!!!!

    ResponderExcluir
  2. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK SONDA NOCU ESSA FOI BOA

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...