sábado, 6 de abril de 2013

A Múmia - 1999




Título Original: The Mummy
Ano de lançamento: 1999
Direção: Stephen Sommers
Roteiro: Stephen Sommers, Lloyd Fonvielle, Kevin Jarre
Elenco: Brendan Fraser, Rachel Weisz, John Hannah, Arnold Vosloo, Patricia Velasquez
Sinopse: Em 1926, um grupo de arqueologistas descobre uma tumba na cidade perdida de Hamunaptra. Dentro da tumba encontrado o corpo de Imhotep (Arnold Vosloo), o sacerdote do Faraó Seti (Aharon Ipalé), que foi mumificado vivo além de ter recebido a mais terrível das maldições por ter dormido com a amante do faraó e, movido por ciúme doentio e amor, ter matado o Faraó. No entanto, quando um dos membros da expedição lê um manuscrito que foi encontrado pelo grupo e traz Imhotep de volta vida, ele ressurge cheio de ódio e só pensa em reencontrar sua amada e destruir todos que cruzem o seu caminho, trazendo consigo as dez pragas do Egito.


Por Jason

O excelente e divertido "A múmia" faz parte de uma categoria de filmes que andava abandonada nos cinemas até o seu lançamento: a de filmes de aventura que misturam ação, comédia, romance e caça ao tesouro - cujo maior e mais conhecido representante é mesmo Caçadores da Arca Perdida e as aventuras seguintes do famoso personagem Indiana Jones.

O personagem "A múmia", no entanto, nasceu dos filmes de horror da Hammer, também conhecida por outros filmes de monstros como Drácula e Frankenstein, com o primeiro filme da múmia sendo lançado em 1932. Em 1959, o personagem voltaria em outro filme, agora com Christopher Lee como a múmia em mais um filme de terror que se tornaria um clássico. Foram necessários mais 40 anos para que o monstro saísse de sua tumba novamente para ganhar destaque numa superprodução de 80 milhões de dólares que se tornou um fenômeno mundial de bilheterias.

Todos os dólares gastos surgem na tela "A múmia". A recriação dos cenários e a fotografia são dois pontos que chamam atenção, bem como os figurinos, tudo bem elaborado. A trilha sonora do mestre Jerry Goldsmith para o filme é inspirada e os efeitos especiais, embora falhem aqui e ali, ainda parecem portentosos. "A múmia" também mistura bem os gêneros e tem ritmo excelente, como uma aventura desse tipo deve ser. Stephen Sommers dirige o filme com segurança do começo ao fim, sem subestimar a inteligência do espectador, com ótimo timing cômico - uma pena que ele não tenha repetido a dose nos filmes seguintes, cometendo aberrações como Van Helsing e Comandos em Ação. Apesar das gags cômicas que permeiam a produção, Sommers consegue criar uma ou outra sequência de horror e suspense, principalmente quando a desastrada personagem Eve acaba liberando a múmia de sua tumba e todos se perdem nos corredores subterrâneos escurecidos ou quando o vilão começa a matar um a um para ter o seu corpo regenerado. O melhor de tudo é perceber o quanto o elenco do filme é afiado e entrosado. 

Rachel Weisz se destaca como a bela e desastrada Eve num filme que catapultou sua carreira para as estrelas e a tornou conhecida nos cinemas. Brendan Fraser tem aqui um dos seus melhores momentos na carreira como o herói O'Connell, uma espécie de Indiana Jones mas sem a elegância nem a inteligência do ícone. A química entre os dois funciona e John Hannah, como o irmão atrapalhado interesseiro de Eve é um achado. Mas, se tem algo que complica um pouco a qualidade do filme é o seu roteiro.

Além de maniqueísta, raso e extremamente previsível - dá para saber quem vai morrer e quem vai ficar no final do filme com antecipação -, a segunda etapa da produção que vai culminar na libertação do vilão é também o ponto baixo do filme, quando entra em cena uma equipe de americanos exploradores cujos personagens não são desenvolvidos, não se destacam nem ganham importância. A citada falta de melhor desenvolvimento dos personagens secundários incomoda - gente que entra apenas para morrer adiante, como o velho piloto, ou os exploradores americanos, que servem apenas de matéria prima para recompor o corpo do vilão. O roteiro deixa pontas soltas, como não explicar como o vilão entrou num hotel para terminar o que começou com um dos exploradores - sem que ele e o seu ajudante fossem notados. Notem, também, que os efeitos das pragas liberadas pelo vilão se perdem no meio do caminho e acabam resumidos ao grupo de habitantes da cidade que gritam seu nome como se fossem zumbis (o que há depois e o que acontece com eles, é completamente desprezado pelo roteiro). 

No mais, como filme, "A múmia" tem falhas notáveis, é verdade. Mas como diversão é garantia de um ótimo passatempo.

Cotação: 4/5 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...