sábado, 20 de abril de 2013

Uma chamada de emergência - The Call - 2013




Título Original: The Call
Ano de lançamento: 2013
Direção: Brad Anderson
Roteiro: Jon Bokenkamp, Nicole D'Ovidio, Richard D'Ovidio
Elenco: Halle Berry, Abigail Breslin
Sinopse: Uma jovem (Breslin) é perseguida por um misterioso serial killer, e só pode contar com a ajuda de uma operadora de chamadas de emergência (Berry), que descobre que esta não é a primeira vez que lida com aquele terrível assassino.

Por Jason


O filme traz Halle Berry como Jordan, uma das atendentes da central de serviço de emergência 911. Em um dia de trabalho, de repente, ela recebe uma chamada de socorro de uma garota. Por causa de um deslize seu (ela retorna a ligação para a menina e o maniaco descobre o seu esconderijo), a menina é assassinada. 

A partir daí, atordoada mentalmente, ela é afastada de suas funções, ocupando um cargo de instrutora para novatos. Quando o maniaco captura uma vitima num shopping (Breslin), jogando-a dentro do porta malas de um carro e ela recebe a chamada de socorro da menina, Jordan se vê novamente forçada a assumir seu posto para salvar a menina. Começa então uma correria no filme: de um lado, o maniaco pronto para fazer mais uma vitima, do outro a atendente correndo contra o tempo para salvá-la. No meio do caminho, os planos começam a dar errado. Seguindo as instruções da atendente, a menina vai se virando como pode para deixar rastros e ser encontrada. O assassino acaba matando pelo caminho, depois de roubar o carro de uma vítima, e vai deixando um rastro que a polícia consegue seguir. 

O filme tem cara de Super Cine, mas se sobressai porque é um ótimo suspense, tenso, um thriller que faz o espectador embarcar na trama e se envolver. A dinâmica entre Berry e Breslin é perfeita e é o que garante metade do êxito do filme, mesmo que as duas só se encontrem perto do final do filme e precisem agir usando apenas telefones como forma de contato durante toda a trama até lá. 

O diretor consegue criar a tensão de modo simples e eficiente com poucos recursos, com jogo de cenas básicos (ele esconde ao máximo o rosto do maníaco e aos poucos, vai revelando na mesma proporção que Jordan vai descobrindo mais sobre ele, reparem) e principalmente, o som do filme, que é excelente em criar a atmosfera de tensão. Os problemas de "Uma chamada de emergência" começam realmente a aparecer nos minutos finais - não por culpa dos envolvidos na tela, mas pelo seu roteiro. 

Jordan, obstinada por encontrar o assassino e salvar a menina, namorada de um policial, corre atrás do maníaco e vai parar na antiga casa onde ele viveu, já anteriormente invadida pelos policiais mas que, INACREDITAVELMENTE, não tem nenhum lá - quando qualquer pessoa com bom senso sabe que o local, onde a menina foi atacada, estaria isolado pela polícia para buscas de provas sobra o seu paradeiro. Jordan também não chama a polícia como deveria (que irônico, uma vez que ela trabalha no 911 - será que ela não confia no serviço?), investigando por conta própria e tentando fazer justiça com as próprias mãos. 

Até que tudo se perde nos últimos momentos, com direito a luta das mulheres no cativeiro, vingança e artifícios desnecessários, que soam completamente deslocados do filme que foi visto anteriormente. Uma pena.

Cotação: 3/5





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...