sábado, 4 de maio de 2013

Homem de Ferro 3 (Iron Man 3) - 2013





Título Original: Iron Man 3
Ano: 2013
Direção: Shane Black
Roteiro: Drew Pearce e Shane Black
Elenco: Robert Downey Jr., Gwyneth Paltrow, Don Cheadle, Guy Pierce, Rebecca Hall, Jon Favreau, Ben Kingsley, James Badge Dale, Stephanie Szostak, Paul Bettany, William Sadler, Dale Dickey, Ty Simpkins, Miguel Ferrer, Xueqi Wang.
Sinopse: Desde o ataque dos chitauri a Nova York, Tony Stark (Robert Downey Jr.) vem enfrentando dificuldades para dormir e, quando consegue, tem terríveis pesadelos. Ele teme não conseguir proteger sua namorada Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) dos vários inimigos que passou a ter após vestir a armadura do Homem de Ferro. Um deles, o Mandarim (Ben Kingsley), decide atacá-lo com força total, destruindo sua mansão e colocando a vida de Pepper em risco. Para enfrentá-lo Stark precisará ressurgir do fundo do mar, para onde foi levado junto com os destroços da mansão, e superar seu maior medo: o de fracassar (Adoro Cinema)


Ou, como fu&%$ com as expectativas dos fãs

Por Lady Rá


Então um dos filmes mais esperados de 2013 chegou aos cinemas: Homem de Ferro 3. Quem acompanha o blog há mais tempo sabe que eu pago um pau danado pro Robert Downey Jr, pago mesmo. Sou fangirl de carteirinha daquele pedaço de mal caminho. Me tornei fã de Homem de Ferro graças a ele, mas também graças ao ótimo e bem sucedido filme de 2008 dirigido por Jon Favreau. A continuação, não foi tão feliz em aceitação de público e crítica, mas eu realmente gosto dela. Depois veio o mega sucesso Os vingadores, que eu adorei, então dá para imaginar como esse filme era ansiosamente aguardado por mim. E quando vi o trailer? MEUDEUS DO CÉU! O que era aquilo? Eu arranquei (todos) os meus cabelos, saí gritando com uma louca: VAI SER ÉPICO! AI MEU DEUS, AIMINHANOSSASENHORAPARECIDA!!! Gente, aquele Mandarim, assustador no trailer, Ben Kingsley, atorzaço do cara##o tocando o terror, botando a mansão do Tony Stark abaixo. Stark todo metralhado, Pepper sendo torturada. MEU DEUS! MEU DEUS, MEU DEEEEEEEUUUUUUSSSSSSSS!!! VAI SER O FILME DO ANO (depois de A desolação de Smaug, of course). Ok, ok! Aí chegou o dia de ver o filme. Lá foi Lady Rá, acompanhada do seu boyfriend, toda trabalhada na moda outono/inverno 2013, zenzualizando de calça coladinha e bota da moda, toda cheirosa pro cinema. Então, no escurinho do cinema com pipoca na mão, as luzes se apagam, Lady Rá quase morrendo do coração, se consumindo em ansiedade, os ovários explodindo. O filme começou, AI MEU DEUS!

A partir agora soltarei spoilers sobre o filme, então se você ainda não viu, sugiro que não leia este lamento texto:



O filme começa com um prólogo intrigante narrado em off, que remonta aos tempos de playboy pegador de Tony Stark, naquele momento acontecia uma festa onde ele conhece uma cientista sexy vivida por Rebecca Hall, que desenvolve um projeto chamado Extremis (o que permitiria, digamos, certas melhorias no corpo humano, dentre outras coisas) e um jovem nerd (no sentido pejorativo da palavra) que aborda Tony para lhe apresentar uma parceria em um projeto. Voltando para os dias atuais, nosso herói está tentando tocar a vida após os eventos de Os vingadores, porém ele está obcecado em construir armaduras mais poderosas e passa horas em sua oficina, o que deixa Pepper preocupada. Essa por sua vez, boring que só ela, fica aporrinhando mais ainda o cara, até ele confessar que não está bem emocionalmente, pois está muito preocupado com a segurança dele e tem crises constantes de ansiedade. A obsessão de Tony é tanta que ele cria uma armadura controlada pela mente e ela pode trabalhar “sozinha” ou mesmo ir ao encontro de Tony quando ele a chamar. Mas não vá pensando que o filme é dramático ou sombrio, está longe disso. Tony, apesar de tudo, continua carismático como sempre.




Enquanto isso, um grande terrorista, conhecido como Mandarim, ameaça o governo americano e começa a tocar o terror no país. Em um dos atentados (sem bomba, causado por uma espécie de “mutante”), Happy (o divertido segurança de Tony vivido por Jon Favreau) é gravemente ferido e Tony desafia Mandarim em rede nacional e jurando vingança. Era a deixa que o vilão precisava bata botar a mansão do playboy abaixo. O que acontece numa cena espetacular e sem muita demora. E a cena é realmente de tirar o fôlego, uma coisa meio Rolland Emerich, porque falou em destruição, a gente logo lembra dele e... FIM! O FILME ACABOU AQUI!

Sim, é isso mesmo que você leu, o filme acaba aqui, porque o que vem na seqüência é uma inacreditável mistura de RollandEmerich+Disney+X-men+seriado japonês+SherlockHolmes+Macgyver+Matrix+HomemAranha+seiláquedesgraçaéessa. Num roteiro que tem mais buraco que rodovia em época de chuva. Sim, meus caros, Homem de Ferro 3 é uma grande, épica e desgostosa decepção.




A disneyficação do herói e fuleiragem do roteiro

Há quem diga que a culpa é da Disney, que infantiliza tudo que toca. Mas diz a lenda que a Disney não interfere nas produções da Marvel. O fato é que esse é o filme mais infantilóide  e sem noção da franquia. Após ter sua mansão destruída e ser arrastado pro fundo do mar devido a um problema no sistema de vôo da armadura (que rapidamente é resolvido), Tony vai parar no Tennesse. A armadura, que funciona por uma fonte infinita de energia que é o reator que ele usa no peito, convenientemente para de funcionar e Tony recebe a ajuda de um garotinho bonitinho, órfão de pai, que sofre bullying na escola. Awnnn, que amor! Só que não. Coincidentemente o garoto é um gênio mirim e ele ajuda Tony a consertar a armadura enquanto este tenta descobrir qual é do Mandarim. Disfarçado, Tony vaga pela cidade, bancando o Sherlock Holmes até descobrir como aconteceram os atentados comandados por Mandarim, entra em confronto com uns figurantes X-men (cobaias do projeto extremis que ganham super poderes), paga de Macgyver, encarna o Arnoldão versão Disney, invade a fortaleza do Mandarim, sozinho, usando armas de criança. Quando ele finalmente põe a mão no meliante: tchanran!!!! Pegadinha do malandro. Malandrim é um personagem, ou melhor, um ator palhaço e viciado em drogas, fantasiado de Bin Laden (e com o QI equivalente ao do cretino que concebeu este roteiro exdrúxulo), que foi contratado por Aldrich Killian, aquele nerd que foi esnobado por Tony Stark e mentor de toda essa confusão e que tomou banho de loja e virou uma loira sexy e má.


Pegadin do Malandrim

Como se o choque não fosse bastante, meu querido Cel. Rhodes, que se tornou o Patriota de Ferro, com uma armadura que mais parece uma fantasia de carnaval, tenta rastrear o paradeiro do Malandrim a pedido do governo. Porém ele é capturado por um figurante X-men e puff!!! A armadura para de funcionar. Os X-mens conseguem pegar a armadura do cara como quem tira doce de criança, e estranhamente o vilão não o mata quando ele fica vulnerável, que bonzinho ele não?

Enquanto Tony estava brincando de astro de filme de ação oitentista, obviamente nossa amada  Pepper Potts é capturada pelo vilão, que é tão mau, mas tão mau, que resolve injetar o extremis nela. Pense! Tendo capturado Tony e Rhodes (e os deixado viver, porque no fundo, no fundo, ele não é tão mau assim, awnn s2), Killian parte para a o gran finale de seu plano de dominação mundial: seqüestrar o avião do presidente dos Estados Unidos (aqui o filme ganha mais um toque de Rolland Emerich, com conspirações na Casa Branca e tals) e executá-lo em rede nacional, coincidentemente no mesmo local onde Pepper é mantida em cativeiro e está sendo transformada em X-men. Tony e Rhodes obviamente conseguem fugir do cativeiro e com a ajuda de Rhodes parte para resgate da sua amada e o presidente.

Why, Marvel, why?

Gente, me corrijam se eu estiver errada, mas aquela armadura do Tony tem como fonte de energia o reator, né? Então como ela PARA DE FUNCIONAR E PRECISA SER RECARREGADA? Jarvis dando tilt? Oi, é isso mesmo?

Tony Stark, o homem que tem TODOS os recursos possíveis, ficando na pior e precisando ser ajudado por um moleque no fim do mundo?

Pera aí Tony, você ta obcecado com a segurança da Pepper e fica brincando de esconde-,esconde e deixa a moça a mercê de vilões?

Como a armadura do Patriota de Ferro para de funcionar do nada? Só por ser tocada por um X-men?

Tony Stark pode enfrentar até o Thor, mas agora suas armaduras podem ser partidas como um pedaço de pão porque convém ao roteiro?

Tudo bem que a Marvel queria o terceiro filme focado no Homem de Ferro, mas o mundo está sob ameaça de um lunático e a SHIELD nem aí?

Aldrich Killian não pensa duas vezes para matar sua comparsa, mas deixa Cel. Rhodes viver estando ele totalmente vulnerável, why?




A armadura de Tony que deveria derrubar até concreto não consegue ultrapassar um portão de madeira podre, só pro Tony virar o Neo de Matrix?

A armadura poderosa cai no chão e se despedaça como brinquedo de montar? Shame on you, Tony Stark.

A personagem da Rebecca Hall poderia ser um diferencial, pois há uma tentativa de transmitir uma mensagem interessante através de seu personagem. Mas ela acabou sendo tão inútil que precisaram sumir com a pobre, né, roteiro?

E o mais frustrante de tudo: por que desperdiçar um excelente ator e um ótimo vilão numa pegadinha estúpida e vergonhosa? Ora, se eu quiser ver pegadinha vou ver programa do Silvio Santos.

Não vou comentar sobre a Pepper Maravilha! É melhor esquecer.


Mas calma, nem tudo está perdido.


Armadura safadjeenha!

Ok vai, o filme tem bons momentos, como já disse, a introdução é intrigante, a destruição da mansão Stark e algumas cenas de ação adicionais. Se o roteiro de Drew Pearce e Shane Black é risível, pelo menos Black, que também é diretor, consegue criar uns bons momentos. O resgate aéreo da tripulação do avião presidencial que é derrubado é sensacional, com Tony resgatando várias pessoas em queda livre, e graças a Deus, todos sabiam nadar, já que são jogados no mar após o resgate. A ideia de um exército de armaduras lutando contra os figurantes X-men no terceiro ato é bacana, embora em termos de narrativa é fraca e desconexa, uma vez que eles são mostrados durante o filme como seres poderosos e no final são facilmente descartados pelas armaduras de Tony (alô roteiro). Alem disso, o filme se salva de ser um fiasco homérico graças ao carisma de Robert Downey Jr, ainda que esteja interpretando Stark no piloto automático. O restante do elenco está relativamente bem (exceto Guy Pierce, afetadíssimo). E a esperadíssima grande atuação de Ben Kingsley não foi exatamente o esperado, mas ainda foi uma excelente atuação, porque Ben Kingsley é vida, né produção? E, além disso, tem os momentos engraçados, afinal, Tony Stark já virou uma entidade. Robert Downey Jr. está para Tony Stark como Johnny Depp para Jack Sparrow, o que não é ruim. Você vai dar umas risadas, embora o humor seja excessivo a ponto do pastelão e não com tiradas sarcásticas e pontuais como nos filmes anteriores. A coisa toda é uma comédia, enfim!




Resumo da ópera

Faltou a esse filme o estilão de Jon Favreu, faltou tensão, faltou um rock pauleira e, principalmente, faltou sanidade aos executivos da Marvel, que deram sinal verde para essa bomba. Como puderam fazer tanta cagada com uma franquia de sucesso? Acharam que bastava o carisma do protagonista para sustentar o filme? Ora, Robert Downey Jr. é foda, mas no meu tempo o que sustentava filme era ROTEIRO! A ideia original de fazer Tony lidar com seus demônios, tendo vivido tudo que viveu depois de se tornar Homem de Ferro seria o foco da trama, mas tudo isso é tratado com superficialidade de modo que jamais nos envolvemos com o drama do personagem. É claro que o herói vai resolver tudo, mas seria mais legal se pudéssemos embarcar na história e isso não acontece. Pelo menos comigo não aconteceu. Eu não me conectei, eu sequer torci por Tony Stark, pois suas crises não me comoveram. A única reação emocional que tive está relacionada à pobreza do roteiro. Sim, eu fiquei chocada, senhores! Sabe como é, você espera anos, seu pobre coração quase se arrebenta de ansiedade e no fim da contas, era isso. Isso é tudo que você tem pra mim  Marvel?


Cotação: 2/5

Olha, vou dar “dois”, porque apesar dessa palhaçada toda, até que eu dei boas risadas e o filme começa bem e tem ótimas cenas de ação. Então ficamos assim, como filme super-herói Homem de Ferro 3 é uma ótima comédia. E vale a cena pós-créditos que é engraçadinha e tem a participação especial do (meu) Mark Ruffalo. <3

Ps: Nunca deixe uma pessoa esperando no terraço, porque ela pode ficar putinha, querer ferrar com sua vida e dominar o mundo. #ficaadica



TRAILER:


Deveria existir uma categoria no Oscar para editor de trailer de cinema, esse aqui merece! 
O trailer mais enganador da história do cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...