domingo, 30 de junho de 2013

Musas e musos do Horror - Juliane Moore

Louvemos Julianne Moore, 
nossa querida DEEWA escolhida para a sessão de hoje!


Por Tia Rá

#Unmilhei as novinha
Vim aqui dedicar todo o meu amor ETERNO, toda minha vida, todo o meu desejo, beleza, graciosidadchy para essa LYNDA, MOOSA DO HORROR, MARAVILHUOSA, RUIVA, DEEWA e TALENTOSISSSISSSIMMAAAA Juli Moore #intchima. Uma das melhores atrizes que já existchiram no cineman, todo um amor, simpatchia, loosho e PODER que não cabem neçe pobre texto dessa analphabetizada que escreve. 

#unmilhei no cabelo
Nascida com nome de pobre, Julie Anne Smith, Juli fazia uns papel pobre pequeno que ninguém notava desde os anos 80 até que chamou atenssaum em Short Cuts, Senas da vida. Neçe mermu ano, de 93, aparesseu em Corpo em Evidência e O fugitchivo. Em 94, pegou checão naquele filme pobreza com Stalonge e Bandera, Assassinos, mas a gentchy já sabia que ali vinha uma deewa né gente, porque o filme só ela prestarra mesmo. Tamém tinha que pagar as conta e fez aquele flop Nove Meses. Apareceu em Os amores de Picasso, otro filme flop, até chutar o pau da barraca e unmilhar Mark Walbrega em Boogie Naites, paciência tem limite, pelo qual ganhou indicassaum ao Uóscar.

#unmilhei na ryqueza
No mermu ano, Juli esteve maravilhuosa fugino das agrura pré histórica de O mundo perdido, aquele que Spielberg dirigiu bêbado e se cagou no final. Fez o remake de Psicose, fez o social com O Grande Lebowski, até que em 99 apareceu em 5 filmes (incluindo Magnolia e Fim de Caso, pelo qual ganhou indicassaum de novo ao Uoscar). Esteve maravilhuosa em As horas (2002)  e Longe do Paraiso (2002), ganhano indicassaum ao Uóscar pelos dois filmes - e por alguma sacanage desse premio vagaboondo saiu sem ganhar nada.

#unmilhei no photoshop
Vamos refletir um pouco. Reese Witherspoon tem um Uóscar. J-Law TEM UM UOSCAR MINHA GENTE!!! Juli Moore, melhor atriz do que Legalmente Loira, chega 4 vezes lá e sai de mão abanano. QUE MUNDO É ESSE, alguém explica?

ADORO ela em Fios da Esperança, mas nunca, jamaish, em hipotese alguma, engolirei o fato de essa maravilhuosa atriz ter sido esquecida pelo papel mega master super dramatchico de Ensaio sobre a cegueira. Num admito, como podem, gente? A mulher espanca, choray desesperadamente vendo essa mulher no filme. Comolidar com o fato de que ela estava lynda e mara atuano em O direito de amar e ninguém lembrou dela? COMOLIDAR com o fato de que ela foi esquecida de Minhas mães e meu pai?

#unmilhei na dramatizassaum
Ela tamém ganhou todos prêmios que concorreu como Sarah Paulin no telefilme A virada do jogo, gente! Atualmente, Juli está unmilhano aquele protótipo de piriguete daquela Cloe Morta que tem cara de sonsa e é pobre de talento - em Carrie, a estranha, - e vai estar lynda e mara mostrano todo o seu talento em seis filmes este ano. Fiquem ligados.  

Essa mulher unmilha! <3

Posso unmilhar de Exu tamém se quiser! LOL


Homem de Aço - 2013




Por Tia Rá-Rel

Atenssaum: o post está xeio de spoilers. Se num quer saber sobre o filme, num leia nada abaixo!

MA QUE POHA É EÇA?
Olha gente... Eu num sabia se eu era uma alien até assistir a essa bomba Homem Bagaço e ver o quanto o público Transformers de hoje tá mudano a forma de fazer cinema. Pra pior, né povo? Roteiro hoje num é maish importantchy, personages num são mais importante, nada mais importa a num ser o quanto de efeito espacial e barulho ensurdecedor você vai poder enfiar goela abaixo no público. É a maldita Iscola #CarlaPerezEternamentchy de Michael Gay e Emmerich de destruissaum, com a diferença de que lá você até se diverte rindo de toda porcaria e aqui você fica pálida com tamanha podridaum.

A gente brinca. A gente pirraça. A gente comenta. A gente se diverte. Ou naum... Mas tudo tem limite, né gente? Proeza das proeza, com o xock que eu tive ao ver isso, até minha gramátchica miorou SOQUENAO. Porque num bastasse a gentchy ter o desastroso - mas suce$$o - Homem de Ferro 3, neste anus, temos que suportar agora outro fiasco de adaptassaum de um personage icônico, que todos aqui no blog amam: nosso Superman, que, apesar de num ter flopado como deveria nas bilheterias, já começa a sentir as esnobadas do público e a torcida de nariz da crítchica (já saiu do TOP tem muito tempo nos EUA e vai sumir rapidchinho).

WHY...? VamozzzzZZZZzzz ROINC Anal Lizar. 

#XATIADAN
O filme começa em Pandora, de Avatar, com a mãe de Superman parino o filho no melhor estilo Abrams de Star Treko (quem lembra da mãe de Kirk levanta a mão! \O). Porque Snyder num tem originalidadchy, é aquela photocopian descarada que eu já venho apregoanu aqui tem tempos mas ninguém me escuta. Russell Crowe aparece e ACREDITA, naquela eterna vibe Gladiador (juro que esperei que ele cantasse uma música como em Los miserentos RISOS). Zod chega, fazendo desfile de escola de samba - o figurino é uma aberrassaum - mata uma piriguete véia do conselho de Krypton/Pandora/Cybertron (é tudo ali mesmo). Começa uma linha de diálogo, depois pancadaria. Mais uma linha de diálogo, tumulto, gritaria e confusão, Russel Creu aka Jor El chama o seu dragão de Avatar e sai voando no meio do calypso do planeta.

W-T-F? EU PENSEI!. Sério, eu tenho neurônios. Eles existem dentro de mim. Eu posso senti-los. Isso não pode estar acontecenus!!!! Mas está... É a versaum porcalhona de Snyder para o M-I-T-O. É a produssaum do mitológico COF COF COF Nolan, que tudo que caga, as noletes vem pra cá dizer que é diamantchy, gente! A gente tem que se contentar com essa tormenta até quando?

A resposta já vem com vinte minutos de filme. Porque aqui o filme já virou Transformers, com Cybertron sendo destruído. Zod e Jor El falam duas palavras e saem no tapa, Jor El morre. O figurino é uma porcaria, já falei dele? De tanta aberrassaum figurinista, a ideia de uma cueca vermelha por fora do macacão azul acabaria se tornano a menor preocupação do filme. A direção de arte é poluída, genérica, um excesso horroroso de informação, brega mesmo!, e parece que saiu de um título de vídeo game - ou de Transformers, REFLITAM. Mas nada disso incomodaria se não fosse a total nulidade de drama. São vinte minuto de destruissaum APENAX. Mas quando o baby Super é enviado e o filme já corta pra Clark véio, eu disse QUE-DESGRAÇAN-É-ESSAN?

GATAN, QUEDE MADONNA?
Uma plataforma de petróleo explodchy, Clark vai lá e faz a social. Mas o filme volta em flash back - e tome Clark novo salvano um monte de criança num ônibus escolar que já despencou da ponte na sua cara. A cada 3-5 minutos de filme uma tragédia acontece, um flash back acontece, um corte aconteSSe, porque o filme num tem eixo dramátchico, é isso daí que Snyder, Nolan e CIA LTDA ACREDITAM que é o bastante para o Superman e você tem que engolir. Clark faz a XMEN JEAN GREY manifestano seus poderes na High School Musical. Você tarra até se envolveno com toda a patacoada e derrepentchy POW mais uma tragédia acontece, agora com Lois Lane - Amy Adams mais perdida que cega em tiroteio e ainda por cima bancando a heroína kkkkkkkkkkkkk - quase morreno atacada por uma sonda alien e claro, Super chega na hora, salvano a biskatchy e fazeno a quarta revelação de Fátima. 

Cinco minutos depois...

Quando você pensa que vai se envolver, lá estamos, com Snyder encarnando Twister MEETS Roland Emmerich com um tornado que leva o pai adotchivo de Clark (cujo pecado é a burrice). Por fim, Zod faz desembarque que nem a Madonna num show, toda uma loka na Terra causano interferência pra pronunciamento feito a Dilma em época de manifestassaum. Zod agora quer esculhambar com a Terra, veja se pode?! E tome mais destruissaum nos moldes Roland Emmerich. Quede roteiro? Sei lá, o Snyder pegou e limpou aquela boonda que já é muito conhecida por toda a Warner porque só isso EXPLICA.

Cinco minutos depois...

Quede Optimus Prime que num me ajudan?
A Super tarra lá toda revoltada das ideia porque mexeu com a mãe dele, OBICHOPEGOU! Smallville vai embora numa nuvem de poeira depois que rola babado, confusão e gritaria com os inimigo de vestimenta pobre derrubando avião, helicóptero, sua paciência e tudo maish. A populassaum misteriosamente sumiu da tela, se resumino uns militares. Quede a imprensa mundial que num tarra vendo isso pra captar os diálogos pobreza do roteiro? A cada tabefe que Super leva, a canastrona inimiga tem um papo porco e umas lição de moral porca pra ensinar a ele. I DIE.

Cinco minutos depois...

ADORO o método de destruissaum em massa dos aliens em Metropolis - quase do naipe das naves de Emmerich invadindo o planeta no dia 04 de julho REFLITAM. O filme faz aquela linha 2012 com direito a prédio caindo, gente correno, e tudo maish. Me lembrou Lanterna Vermeia tamém. Aliás, no quesito destruissaum, é o encontro de tudo o que você já viu de Emmerich com Michael Gay. O filme encontra no Transformers 3, com o Decepticon todo trabalhado na treconologia de tentáculos atacano o Super dublê digital de quinta categoria. Não dá pra digerir entender certas coisas de Snyder. Se o pai já foi mostrado fazeno a Dorothy e voando no tornado pra o mundo de OZ, porque diabos o filme tem que voltar no flash back (o vigésimo quinto) pra mostrar o pai de novo numa Sena em que o jovem Clark quase se descontrola? Aliás, o filme é todo cheio de flash back (já falei deles, neam, SUPORTEM, porque vem um a cada... cinco minutos...RISOS), então isso é o de menos - com tanta confusão de vai e volta neçamerda

Porque não basta explicar ao pobre monossilabo do Clark o que aconteceu com ele, tem que vir um holograma com um infográfico e uma animação em 3D? 

COMOLIDAR com o JorEl ensinando a Lois Lane na forma de holograma-asombrassaum-gasparzinhofantasminhacamarada- os truques da nave? Pior sequência EVER. 

Me economize. 

Eu vorto que nem assombrassaum pra te ver LOL
Cavill ficou ótimo com toda a bomba que injetou nos peito e nos braços. Como ator ele dá um ótchimo caldo na minha cama, sou dessas. A química entre ele e Adams é nula, os dois disputam a tapa pra ver quem tá pior (suspeito premiações no Framboesa de Ouro do próximo ano, na TORCIDAN). Lawrence Fishbourne, gordo como um hipopótamo, correno de prédio caino então é a visaum do inferno, nem parece que um dia foi MORPHEUS. Morphou completamentchy no filme. Amy Adams dá sono só de olhar pra ela, né gente, num papel tosco e inexpressivo. Mas choca também o desperdício de Christopher Meloni saindo da tv pra fazer figuração de loosho, e Michael Xana, completamente subaproveitado como Zod devido ao texto do filme ser uma porcaria. Os pais de Clark são dois flop né? Kevin Costa e Diane Lane sobrando no meio desse engodo todo.

PS: não me perguntem sobre a (in)utilidade da personage Jenny.

O povo reclama muito do final em que Super faz a Chuck Norris e dá um golpe de gravata pra matar o Zod. Eu axei ótimo. Personage ruim em filme cagado de ruim tem que morrer mermu. Aliás todo mundo tinha que morrer neçamerda, iscrusive o Snyder e quem escreveu essa bosta de roteiro que acha que entende de Superman. Eu num entendo nada de Super, né... Só pedi um Superman e me deram um Transformers + Vingadores + Independence Day + 2012 + Thor + Madonna. Naum sou obrigada.

Pra geração Playstation 3, o filme deve agradar bastantchy, porque não tem dramatizassaum alguma, é só um festival tosco de efeito espacial que nem sempre convence - e caro, pagaram 225 milhões nessa treta. Se você quer algo mais do que isso, chuta essa porra que é macumba da braba.

Cotação: 0/5

Sério, gente, dá pra tia naum, devo estar véia caquétchica mermu. É muita bagaceira prum filme só.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

A última profecia - 2002



Por Jason

Encontrei esse filme por acaso, atraído pelo elenco, que conta com Richard Gere e Laura Linney, além de Will Patton (mais conhecido pelos filmes que por atuações ou pelo nome) e Debra Messing.

A trama começa com a personagem Mary, de Debra, que sofre um acidente de carro. No hospital, o marido John Klein (Gere) recebe a notícia de que ela está com um tumor maligno no cérebro.  Antes de morrer, no entanto, Mary demonstra estar obcecada por uma visão que teve antes do acidente: uma criatura, meio humana, meio mariposa, com olhos vermelhos, que aparece toda vez que algo de ruim vai acontecer. Além de ver a criatura, Mary a desenha continuamente. Dois anos se passam e o marido finalmente contará com a ajuda da policial Connie (Linney) que associa outros casos como o dele numa investigação para saber o que está por trás destas visões.

A trama é baseada em uma suposta criatura sobrenatural, que apareceu pela primeira vez, segundos relatos, na década de 50 em Ohio - mas há histórias e registros de que ela já aparecia muito tempo antes, na Inglaterra e em outros pontos dos EUA. Ela também está associada a aparições de discos voadores e de eventos trágicos, como Chernobyl e o ataque a Torres Gêmeas em Nova York. Como visto, tanto mistério acerca da criatura poderia render um filme de suspense e terror interessante, onde não só o segredo a respeito da natureza da coisa como suas tenebrosas ações poderiam resultar em um roteiro interessante, completamente o oposto do que vemos aqui.  

A trilha sonora não ajuda - ela fica tocando o filme todo, como uma novela, subindo nos momentos de tensão. O ritmo do filme é outro problema - demora a passar - e a direção precária joga contra o filme, incapaz de realizar cenas de suspense dignas de nota e de aproveitar o carisma de Gere e o talento inquestionável e a segurança de Laura Linney. Toda a fotografia tem cara de telefilme, de um episódio de Além da Imaginação ou de Arquivo X

A questão de crença e ceticismo não é explorada, se resumindo a uma pesquisa dos personagens sobre a criatura e diálogos pobres - e é aí que, como todo clichê nesse tipo de filme, entra em cena o paranormal Sr LeeK que vai ajudar a entender o que está ocorrendo - e some da trama sem que ninguém se lembre dele. O filme tem momentos de vergonha alheia - como o instante em que o personagem de Gere bate papo com a coisa por telefone (ela estudou inglês) ou para Will Patton, cujo personagem não é capaz de dizer uma palavra sequer normalmente, já que fala o tempo todo como se estivesse arfando. O golpe de misericórdia vem na sequência de desabamento da ponte, uma prova cabal da inabilidade da produção em lidar com efeitos especiais e momentos de tensão.

Em tempo: o paranormal do filme, o personagem "Leek" tem o nome escrito ao contrário de John "Keel', autor do livro Estranhas criaturas do tempo e do espaço, de 1975, que traz documentos e relatos que supostamente provam a existência do tal "homem mariposa" e que serviu de inspiração para os casos retratados no filme.

Cotação: 1,5/5

Um desperdício de elenco em um filme mal elaborado e mal resolvido, com um tema que poderia render algo notável.


quinta-feira, 27 de junho de 2013

O submarino fantasma - Phantom - 2013



Por Tia Rá

pega o cheque e sai correnu, fio
Esse eu resolvi assistir BAIXAR por causa do elenco, que tem Ed Harris, que tá com aquela cara de quem foi atropelado por um trator, mas é ótchimo ator, ADORO!, e o David Duchovemmim, que ainda acredita ser o Mulder do Arquivo X com aquela expressão eternamente natural de babaca. O filme ainda tem Lance Henriksen, que tem esse nome parecido com marca de cerveja, mas é bom, só que nunca deram valor ao pobre porque a cara nunca ajudou.

Rá! O filme tamém tem William Firstness, axo eu que é assim que se pronuncia, desculpem meu analphabetchismo de naçença, num fui analphabetisada... O Will #intchimidade eu acho TUDA, mas é flopado que só. Não adianta, a carreira do home não decola de jeito nenhum... é aquele típico caso em que você vê ele no filme e diz AH, ele tarra em Pearl Harbor, em Mar em Furia, Armageddon, Cavaleiro das Trevas, etc etc etc ETC (SEGUE A LISTA ENORME), porque o home tá em tudo quanto é filme. Ah pois, mas naum funfa de jeito nenhum... TEMÇU

pobreza define
Enfim, vejamos... o filme é tão rápido quanto duas lesmas apostando corrida. Se a gente não tiver cuidado, entra em coma no meio da produssaum. Fala de um capitão de um submarino, que deixa a esposa, a filha, vai pruma missão. Mas a KGB do David entra no esquema, quer o submarino dele pra causar,  e o capitão com sua equipe vai lutar (lutar é modo de falar, tá gente... vão dormir na verdadchy, porque pense num troço lentooooo) pra ter o submarino de volta e evitar que tudo se acabe no mundo. 

Outro submarino tá ali passeanu na área e de repente, POW, torpedo nele, começa uma briga debaixo d'água, um atira de lá, outro atira de cá, ma fica nisso mesmo. Umas pessoas do grupo do capitaum morre, rola uma traiçaum tamém e quando tudo parecia abacado, chega o resgatchy. Dói na minha alma ver meu Ed pegando checão com esse filme. A gente sabe que velharia não tem vez em Hollywood né gente, mas tipo, num mundo em que ele flopa e outros pootos estaum por aí fazenu teste de sofá com executchivo de estúdio pra ganhar indicassaum a Uóscar, só posso achar que é demais pro meu eu #tiaRáirônica. 

- Mulder?
#Sculytroll
Os efeito espacial foram feitos no fundo de quintal, a trilha sonora é quase música de clínica de acupuntura  minha gente... uma xaropada de quinta categoria. O filme tem cara de que foi feito pra tv (será que foi, num dei googlada, preguiça disso...). O David é uma porcaria atuando, a gente já sabe, e Ed desperdiça seu talento numa trama chata pros infernos. Não vou falar dos coadjuvantchys, basta dizer que tem um que dá ataque de histeria toda mona nervosa claustrophobica (marinheira. craustrophobika. num submarino. OI?) só pra ter o pescoço cortado em seguida RISOS. Não dá para falar do acesso e da revoltan de David fazenu a vilã, querendo matar todas de uma hora pra outra, toda surtada e cheia de mágoa de caboclo.

Cotação: 0/5

Filme páia, trash, pra passar numa sessão dessas do Corujão que ninguém vê mermu.


quarta-feira, 26 de junho de 2013

O demônio - 2010



Atenssaum, post cheio de revelassoens sobre a trama do filme. Se nao viu, segura na mão de Deus e vai.

Por Tia Rá, a Madre Merrin

EXORCIZA SENHOR ESSE ELEVADOR!
M. Night Saiadalama já tarra flopado quando resolveu fazer esse conto sobre um dos dias de trabalho da minha querida irmã, a atormentada demoníaca Lady Rá. A trama vagaboonda de O exu é até criatchiva, gostei, pelo menos é esforçadan, né gente? Tente, invente, me faça um demônio diferente! Tem cara de Super Cine, aqueles filmes flopados que volta e meia passa na tv aberta. E fora que é a cara da pobreza, mas enfim... Como o nosso leitor Fabio, com quem me casarei lynda e poderoza vemnimimquesuatchiatáfaceeooo, adora o Saiadalama, resolvi conferir o filme em especial para ele <3. 

Kid Bengala ameaçanu dar um trato no pobre
O filme começa com gente morrenu, uma investigassaum policial de quinta categoria (a trama da polícia é porca, releve) até que cinco pessoas ficam presa num elevador dentro de um prédio: três home (Kid Bengala, um vendedor, e o dublê de Tom Hardy, aquele de Prometheus, que não sei o nome porque não é importantchy; e duas mulé - uma biska nova e uma véia safadan. A comunicassaum some, só dá pra ver todos pela câmera, mas eles naum conseguem se comunicar com quem tá fora (ninguém sabe fazer sinal neçamerda). À medida que o tempo passan, a policia começa sabendo que todo mundo ali tem culpa no cartório. Só tem bandido, ladra, poota, mentirosa e vigaristan dentro do elevador REFLITAM!

minha sinhora, tu era mais exu sem
essas lente, num precisarra!
Nesse engodo, coisas estranha começa a acontecer enquanto o povo tá tentanu tirar os cinco de lá. Toda vez que Lady Rá atua, a luz perereca dela pisca pisca pisca pisca. A mulher sofre umas ferida, o outro é morto por um espelho açaçino, a véia acaba enforcada misteriosamentchy. Um fica culpanu o outro pelas coisa estranha. O exu claro, tá causanu muito dentro do elevador, fazenu aquele micareta. Todo mundo que tenta salvar os aloprado acaba morrenu. E tome clicheria (rola até choque elétrico e queda de elevador, tchipo a morte trolando geral em Premonissaum), afinal, Saiadalama já perdeu o tino pra coisa faz tempo, mas tem gente em Hollywood que ainda acredita nele.

ADORO a edição dessa bomba, acho que é a única coisa que realmente funciona. A trilha é tão óbvia que a gente sabe exatamentchy os momento que ela vai entrar. Sobra pra o mexicano latino a parte da crendice  e de chamar pela Ave Maria na hora que o exu entra em assaum. Ninguém se destaca no elenco, só tem ator flop. O Kid Bengala até que se esforça e faz aquela dramatizassaum de claustrophobia que num convence ninguém. Mas quando a véia demônia que é a cara da Lady Rá se levanta, eu falei AGORAAPOHAFICOUSERIA! Só que vem a revelassaum do passado do personage né... cara matou a família do policial e tals... eu queria que rolasse um beijo entre eles no final, tchipo, "você matou minha mulher, fiquei pensanu no que fazer contchigo, tou carentchy, tou afim, comoéqueeufico? será que num rola um castigo, gaton?"

Se é pra chokar, que aprendam a fazer a coisa direito, né? 


#diabólica

Cotassaum: 1,5/5

Dá pra passar num supercine, vai... do tchipo que a gente assiste ROINC dormindo.


terça-feira, 25 de junho de 2013

Comboio do terror - 1986



Por Tia Rá

Essa semanan me crucificaram no blog, meldels EU NUM MEREÇO ISSO NAUM, gente! Alguém me acodeeeeee!!! Só me atiraram bombas de gás lasquemogemeo! Olha o que deu pra mim. Comboio do terror. Só prus quê eu sou analphabetisada, ficam me desqualificanu! Vou fazer manisfestassaum na paulixta, viu, Jason? Lady Rá, sua mocreia, cai dentro pra o bitch fight! Ma é cada uma viu...

Aliás, que nome lyndo pra um filme, né povo? SOQUENAO. E num se engane com essa capa lynda cheia de pressaum, de explosaum, de horror, o filme é lerdo que só.

Donkey Kong
Comolidar com o fato de que Stephen Quenga, que já tem cara de monstro REFLITAM resolveu dirigir um filme baseado numa trama dele mermu, minha gente? Comolidar com o fato de que, SIM, isso existe? Comolidar com o fato de que, SIM, Emilio Estevez, aquele nosso querido eterno flopado, está no filme?

A trama fala de um cometa que tarra passanu no espaço e resolveu colocar a Terra no rabo dela. Nessa hora, todas máquina do planeta endoida, principalmente os caminhão, que ficam fazendo ronda num posto de combustível onde um monte de aloprado tá preso. Tem a recém casada mal comida tagarela, o vilão dono do posto que trata todo mundo mal, um menino que o pai morreu atropelado RISOS, vigarista vendenu Bíblia, dentro outros tchipinhos desse calibre. 

Aí os caminhão, revoltado, ameaça de morte quem sair de lá, ninguém entra ninguém sai. Mas eles ficam sem gasolina e chamam um reforço de um carrinho de exército com um metralhadora (você num leu errado naum...) pra exigir que eles façam o abastecimento, entende? É quase uma manifestassaum popular por preço mais barato de óleo diesel, viu Dilman? Imagina você se a moda pega? #refletinu

beeshas unidas contra os caminhão assassino!
A-D-O-R-O a máquina de refri assassinan, que taca latada em tudo que é guri. A-D-O-R-O criança pé no saco morrenu atropelado por um trator. Isso é vida. Isso é pobreza. Isso é trash. E trash todo mundo adora, neam? SOQUENAO. O filme serviu pra mostrar pra todas nois pobres mortais que King como diretor é um ótchimo escritor, porque desde o começo, quando uma ponte revoltada contra os humanos sobe joganu carro pra tudo que é lado e matando todo mundo - é a precursora natural trash de Premonissaum 5, just saying - a gente entende que o homem não tem condissaum de dirigir nem um Fusca quem dirás um filme. 

Tamém num entendi a trilha sonora do AC DC, porque a trilha num combina com nada no que se vê na telan. Tchipo: caminhão vai atropelar o cara e começa a tocar rock? OI? Tem que ver esse número de sobreviventchy, tarra esperanu que todo mundo fosse atropelado porque é tudo ator pobre ruim, e no final me salva quase todo mundo, o que é isso?! Quede as mortes criatchivas? Quede sangue? Quede apelassaum? PS: ADORO a participassaum do King no começo do filme. Já repararam que ele parece o Donkey Kong? Alô produssaum, faz um filme com ele como o Donkey, já que ele adora critchicar quem faz adaptassaum dos livros dele que nunca ficam bouas, né? #TiaRáIrônican

Cotassaum: 0/5

Nessa pérola trash dos anos 80, só faltou aparecer a Christine, a perua assassina, em participassaum espacial.




segunda-feira, 24 de junho de 2013

A hospedeira - 2013



Por Tia Rá

Nossa querida e idolatrada Steph Meyer, depois de açaçinar os vampiros como conhecemos em Prepucio, agora transforma todo mundo em ET com lentes de contato de Drag Queen. Pausa pra eu respirar porque meu eu não aguenta toda essa informassaum naum.

Tem coisas que eu adoro nessa aberrassaum. Quando você pensa que já viu de tudo, vem Meyer com a tecnologia Avon Renew Clear desenvolvida por alienigenas para tirar todas as manchas, feridas e rugas da pele BRINKS. A trama na verdade faz todos humano ser possuído por exus aliens que se apossam e passam a controlar tudo nos ser umano, e a vida é perfeita, o mundo belo, essa viadagem toda. 

Melanie foi possuida pela X Wandala, uma piriguete alien. As duas entaum ficam no mesmo corpo. Aí rola umas memória do romance aborrescente entre a personage e um cara que deu a boonda pra aparecer no filme. A verdadeira ainda está viva dentro do exu, reencontra a família quando a exu alien vai ser capturada pelos humanos. Aí ela acaba se apaixonando por outro pra rolar o dilema, entre o amor do passado e a paixão do presentchy, pra reparar tudo ela faz operação pra retirar as alma. Se num fizer sentido, beleza, não faz mesmo. Feen.

Creio eu que a nossa queridan Meyer foi traída várias vezes quando era aborrescente e a pobre de Cristo sofre de esquizofrenia (porque a personage principal de A bagaceira fica o tempo todo ouvindo a voz da Melanie, o que deixa tudo com ar TRASH). Meyer provavelmentchy descobriu que seu namorado da vida real era uma baita de uma beesha e isso pode ter rolado uma decepssaum na coitada da qual ela noonca se recuperou. 

Os sinais disso estaum por toda parte. VEJAMOS: Se em Prepucio, ela se coloca no papel da Monga Swan e tarra querenu ser comida por um lobo sarado (complexo de quem nunca foi comida) mas tinha que amar a beesha luminosa do Ed (complexo de virgem que achou um macho pra dar mas foi rejeitada porque descobriu que ele é menina), aqui a personage se divide entre dois homens enquanto as duas brigam dentro de si. É quase um espetáculo do bizarro quando Wanda-Melanie tá querenu dar pra um e entra aquela voz NAO, PARA, NAO FAÇA ISSO, enquanto sobe a trilha sonora vagaboonda pra emocionar as aborrescentes fracassadas virgens.

No mais, não pude deixar de notar que os exus aliens andam todos rykos, usam Lotus carérrimos, com pintura prateada, são cheios de dinheiro. Xuxa Ronan tá mais perdida que cega em tiroteio com as lentes de Drag. Frances Fisher (parece nome de sabonete né gente...), que já foi a mãe da Rose em Titanic, aqui aparece como uma traveca albina do deserto. William Hurt pega o cheque porque na idade dele, VALE TUDO, Diane Kuga, seca que nem um espeto, ainda precisa morrer e nascer de novo como atriz e não como modelo fazendo poses pra câmera. O restante do filme é feito por atores jovens que entraram pela cota do teste do sofá.

Os efeito são pobre. A trilha é macarrônica, bem tosquinha. Nada funciona, nem o romance aborrescente de quinta categoria, nem a ação porca. Quase tive um derrame ao saber que quem dirige essa merda é Andrew Nicol, do ótchimo Gattaca e O show de Truman, mas tarra precisanu pagar as contas e pegou qualquer porcaria que apareceu na frente.

Momentos épicos:

Jamaish esquecerei de dois momentos ÉPICOS do filme.

A Ronan tá possuida pelo exu alien aí ela vê a tia humanan e começa a gritar TIA, TIA! e a tia lhe dá uma bofetada na cara. 

Quando ela vê o personagem Jared, ela gritando JARED! JAREEEEDD!! Corre pra ele e toma outra bofetada na cara kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk 

Comolidar com a operação retirada das almas pra devolver a Diane Kuga sua vida unmana novamente? Era melhor dar laxante pra descer né gente... ADORO EÇAMERDA!

Sóquenão.

Cotação: -15/5

Graças ao meu bom Deus que eçapoha flopou. LEESHO ESPACIAL DE PRIMEIRA CATEGORIA!

sábado, 22 de junho de 2013

Cidade dos Sonhos - 2001


Por Tia Rá

Sabe aquele sonífero de filme que você acha interessante as idea, o roteiro e tals, mas acha um porre a execussaum? Então, temos aqui um legitimo representantchy (a poha do post tá cheio de Spoiler).

Não vou aqui me prender na trama mexicana de Diane, menina meiga e ingênuan, que se envolveu com uma piriguete atriz, ficou alucinada com a piriquita da vagaboonda mas foi trocadan por um diretor. Cheia de mágoa de caboclo, Diane, toda loka das ideia, perdeu papel pra piriguete, foi unmilhadan e essa coisa toda, aí fica sonhando cheia de culpa, toda perfeita e lynda e loira na pele de Naomi Watts (quem noonca, né gente?). Durante duas hora, a gente vai embarcar nessa aventura sonolenta #sessãodatarde da vida de Diane (que mudou de nome no sonho, virou Betty) e seu envolvimento com a piri Camila (que virou Rita). Toda loukura e emossaum vai acontecer até Diane chamar um açaçino pra despachar Camomila e cheia de culpa se matar no final. Feen.

Olha, amo/sou/vivo Naomi Watts, e adoro aquela cenan em que ela tá loka das idea siriricanu toda aloprada tentanu gozar. WTF? Naomi é vida, quede logo Uóscar pra ela academia? Adoro a Laura Harring (ela é a cara da Ann Miller quando jovem, que faz a véia mãe do diretor), fazendo a múmia desequilibrada que bateu com a cabeça, mas tchipo, a cara da Laura não ajuda muinto né gente? Acho que por isso que num decolou, mulher tem a cara da Roberta Close (mas tem uns peito bom, quero colocar silica pra ficar que nem ela).


Num tem nada de anormal no filme a não ser o ritchmo, que é um fracasso. Você vai tá assistinu o sonho de uma ressentida fracassada pessoalmente e, logo, profissionalmente, vivenu a sombra de uma biscate, até se dar conta de que o melhor a fazer é DESPACHAR a piriguete pro além! As atuação são boa, nádegas a declarar, com destaque, como já falei, pra siriricadan da Naomi. Não pude dechar de notar que David Lynch é = Adam no filme, com aquele glasses parecidíssimo (e toda uma coisa de traição, o homem já casou quatro vez na vida real, reflitam). Rolou crítica porque ninguém quer patrocinar as coisas que o tio Lynch faz, neam, com os diretores querenu acabar com a raça dele e tals? Biografia?

Mas o que faz Cidade dos Pesadelos mais atual impossível: o fato de que Camomila/Rita é aquela versaum mais elaborada da Jennifer Lawrence ou da Xessica Xatissima, neam gente? Tipo, a máfia dos Weinstein chegou e disse "É ELA" pros diretor, "a gente sabe que ela é marromenos, mas a gente quer ela". Nada contra - mas eu e um monte de gente tem que engolir umas superestimassaum que é demais pro meu eu. 

Just Saying.

Cotação: 3/5

Tem que saber voaaarrr tia!



sexta-feira, 21 de junho de 2013

Os Três Mosqueteiros - 2011


Por Rá Hannibal
  
As beeshas decadentes
Ooooi, geeeenteeem!
Sentiram saudades de mim? Cansaram de ouvir a tagarela da Tia Rá falando sozinha nessa bagaça a vida toda? HAHA Pois eu estou aqui. Ressuscitei pra sapatear na cara das porcarias monumentais que me incomodaram tanto que levantei dos mortos.

Eu estava decidida a permanecer no meu mausoléu, descansando em paz das minhas tarefas domésticas. Mas resolveram me perturbar e me trouxeram “Os Três Mosqueteiros” do Paul WS Anderson pra assistir.

Meu mundo caiu, eu cantei.

Eu nem reclamei muito no início por que imaginei que tendo o romance do Alexandre Dumas como base, ele na poderia estragar tanto assim o próprio filme. Mas eu havia me esquecido que Resident Evil também era um ótimo game antes de cair nas mãos dele.

Tive que levantar da tumba pra vir dar um esporro nessa joça.

Gente, ME EXPLICA COMO ALGUÉM PODE PEGAR OS TRÊS MOSQUETEIROS E TRANSFORMAR NAQUILO???????

É caricato, é ruim, é podre, é triste, é tosco.

Pra começar, ele tinha que exibir de novo a sua esposa linda maravilhosa da pele linda, mas inexpressiva como uma porta. Não sei, acho que ele quer mesmo que as pessoas invejem seu casamento com a Esquálida Mila. Adora exibir as pernas dela e fazer com que ela pareça a diva mor máster dos filmes de ação. 

Mas cara, não dá, ok? A Mila realmente é linda, mas deveria ter prosseguido na carreira de modelo, sabe? E claro, que pra exibi-la com todas as suas qualidades, ele teve que transformar a Milady numa versão de época das Panteras.

Posso não saber atuar, mas sou limda, deeva e ryca!

Ela luta, invade cofres (aliás, naquela época não tinha laser, mas tinha fiozinhos cortantes no lugar), arromba fechaduras e aprendeu com o Ethan Hunt (de Missão Impossível) a descer naquelas cordinhas lindas de espionagem.

Aliás, ela é um desperdício, pois a Milady em sua essência, numa história boa, seria uma ótima personagem, intrigante, dúbia e divuda. Mas foi reduzida à Alice do Resident Evil versão pré-renascença.

O Lord Buckigham de Orlando Bloomda e o Rei disputam o filme inteiro quem tem a roupa mais legal, parecendo duas crianças-pavão brincando de Drag Queen. Não servem pra nada.

Os três mosqueteiros? Pfff... Matthew MacFadyen fazendo papel de corno com dor de cotovelo, Ray Stevenson rindo que nem um bobo e a porta do Luke Evans posando de fodão.

E gente, QUEM RAIOS DEIXOU O LOGAN LERMAN VIRAR ATOR?

São os olhos azuis dele gente? Ele só funciona naquele “As Vantagens de Ser Invisível” pq não sabe o que fazer em cena e isso ciau como uma luva para o personagem. Mas no resto de todas as coisas que ele faz ele está fazendo caretas e se achando O herói. Nem Percy Jackson salva. Aliás, não preciso comentar aquele mega hair mal feito dele, NE gente?

Eu só não sei MESMO o que o Christoph Waltz, o Mads Mikkelsen e a Juno Temple estão fazendo nesse filme. POR QUE? Pelo dinheiro?

-Oi gatan, o que achou do meu megan hair?
-Podre, Percy Keca, podre!
Sério, é um desfile de absurdos, clichês e tudo o mais.

A coreografia das cenas de luta é extremamente artificial. Aliás, tudo nesse filme é artificial. A direção, as roupas, os cenários, as atuações. Figurinos e cenários são até bonitinhos, mas são bonitinhos DEMAIS. Ninguém suja direito, ninguém se rasga direito. É tudo tão colorido e sem propósito que parece que estamos assistindo Alice no País das Maravilhas.

O roteiro? Que roteiro? O único vislumbre de inteligência que vemos no filme, logo é apagado por um clímax absurdo e sem graça.

Eles pegaram tudo o que havia de interessante na história original e substituíram por alegorias e fantasias que parece a Sapucaí no carnaval, minha gente.

Não sei por que existe essa joça. Não sei mesmo.

Aliás, já não bastavam CINCO filmes de Resident Evil, ele ainda deixa uma ponta para continuação nessa joça. POR QUÊ? POR QUÊ? Espero que não seja a versão game over do homem da máscara de ferro, por que senão será o apocalipse!

CHUTA isso pra longe minha gente – e aposto que vão ter fãs xiitas querendo me apedrejar. Que se dane! Vou transformar Paul WS Anderson em churrasco na primeira oportunidade que tiver. 

0/5

Vão ver QUALQUER outra adaptação da mesma história que vocês ganham mais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...