domingo, 21 de julho de 2013

Europa Report - 2013


Direção: Sebastián Cordero
Gênero: Terror | Ficção Científica
Duração: 100 min.
Origem: EUA
Idioma: Inglês
Elenco: Embeth Davidtz, Sharlto Copley, Michael Nyqvist


Por Jason

A ideia de levar o homem a lua de Júpiter, Europa, faz todo sentido do ponto de vista científico. Segundo os cientistas, seria um ótimo lugar para abrigar vida como aquelas existentes nas profundezas dos mares da Terra, já que se supõe que por baixo de sua camada de gelo possa haver um oceano em estado líquido - água - e onde há água, é claro, pode haver vida. Logo, uma produção cinematográfica com esse mote poderia enveredar por qualquer gênero, como o do horror ou da aventura espacial, render um blockbuster, (quem sabe?), e garantir relativo sucesso se a ideia fosse bem trabalhada - desde que provocasse no espectador o mínimo de emoção e interesse.

Nem todo mundo, contudo, tem a disposição orçamentos como os de James Cameron, e nem todo diretor tem capacidade de trabalhar com criatividade usando pouco, como é o caso aqui em questão. No filme, uma tripulação é enviada para o satélite, com a função de explorar uma área sob o gelo e checar a possibilidade de vida alienígena. Os astronautas perdem contato com a Terra, o que causa a morte de um deles. No momento em que pousam no satélite e começam a explorar, algo dá errado - e outra tripulante paga por ser burra e curiosa demais. Os que sobraram tentam sair do satélite, mas um acidente faz com que despenquem novamente na superfície da lua, vitimando outro astronauta. Enquanto tentam consertar as coisas, mais deles acabam morrendo. 

Dito isso, impressiona o quanto o filme é a cara da pobreza. É pobre de efeitos especiais convincentes - os efeitos parecem feito para a televisão. É pobre de criatividade - lembra qualquer filme do tipo "found footage", incluindo o péssimo Apollo 18; de ritmo - as filmagens do interior da nave são tao monótonas quanto um astronauta passeando na superfície lunar; e de personagens interessantes - são todos descartáveis e não despertam nenhuma empatia no público. Complica a situação o samba de crioulo doido que é o roteiro. A todo momento um ou outro personagem aparece em cena para explicar o que aconteceu, como se o público fosse burro e incapaz de compreender o que há com os astronautas - pior: a direção é incapaz de mostrar tudo simplesmente através de imagens, deslocando e interrompendo o desenvolvimento a todo momento. 

A morte de um dos personagens aos cinquenta minutos, contaminado por uma substância quando consertava um painel externo e não pode voltar para o interior é o único momento de drama do filme - mas também um dos mais estúpidos. A falta de se decidir entre o gênero suspense, terror espacial e documentário do Discovery Channel só piora a situação porque o filme não é feliz em nenhum desses estilos. Sharlto Copley, de Distrito 9, aqui desaparece no meio do filme sem deixar saudades e o final do filme - se alguém conseguir se manter acordado até lá - é o tiro de misericórdia. 

Cotação: 1/5

O filme traz uma ideia interessante, pessimamente desenvolvida em uma trama monótona, com personagens insossos e produção mal acabada.


5 comentários:

  1. A proposta do filme é a de parecer um documentário, com o registro da missão, com a rotina dos astronautas e não para ser um Transformers 3.

    É um filme que prezou por ser correto cientificamente e - para a surpresa de muitos - a ciência tem sim essa parte do marasmo, das observações chatas, da demora.

    Pobreza no que? Eles usaram as imagens obtidas pela NASA de Europa, prezaram pela precisão científica, fizeram um filme estilo documentário, abordam muito bem a questão da vida fora da Terra.

    Foi um dos melhores filmes do ano e quem está reclamando, não é fã de ficção científica, é fã de JJ Abrams e explosões.

    ResponderExcluir
  2. Eu tambem assino embaixo o que disse a Sybylla. Se for assim então "2001 uma odisséia no espaço" é um lixo segundo a visão de quem postou. É até mais monótono, porem é uma das maiores obras prima reconhecidas do século passado.
    Pra mim esse filme Europa Report é o que mais me impressionou do gênero FICÇÃO (não super heróis infantis com efeitos especiais) nesse século, é o que mais usa bases científicas. E a única coisa péssima aqui é esse post. Filme bom de ficção pra vc é o que? Wolverine? Senhor dos anéis?? Tenha dó neh???
    Respeito a opinião de todos, mas dar nota mínima pra uma obra prima desenvolvida em cima de basas científicas como esse filme, pra mim é um pouco demais.

    _X_

    ResponderExcluir
  3. Finalmente alguém que percebeu que esse filme não é grande coisa, é um pseudo suspense, raso e pobre, q não aprofunda personagens e tem pretensões de ser tão bom ou melhor do q outros q usam do baixo orçamento como trampolim para um roteiro bem desenvolvido, o q este aqui não consegue, é totalmente decepcionante.

    ResponderExcluir
  4. Críticas com muito pseudo critério e pouco conteúdo, e o pior nenhuma visão sobre a arte do cinema, típico de quem só critica e não produz porra nenhuma, lamentável

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...