quinta-feira, 18 de julho de 2013

Irmãs diabólicas - 1973



Por Jason

Danielle (Margot Kidder, a eterna Lois Lane de Superman) é suspeita de ter assassinado seu namorado. Aparentemente, ela foi vista cometendo o crime pela sua vizinha e repórter Grace (Jennifer Salt). No entanto, as investigações se complicam quando é revelado que Danielle tem uma irmã gêmea, Dominique, que pode estar envolvida com o episódio.

De Palma se usa de tudo para criar suspense. Ele divide a câmera ao meio num momento chave: de um lado, vemos a ação dentro do apartamento de Danielle, com o ex marido limpando a cena do crime. Do outro lado, a repórter que presenciou o assassinato tentando convencer os policiais a caminho do apartamento. Uma vez lá, a câmera de De Palma une as duas cenas em uma só, um recurso interessante que seria usado em filmes como Carrie, com grande resultado também. Não satisfeito, usa o ponto de vista da testemunha ocular, como nos filmes de Alfred Hitchcock (Janela Indiscreta) e em filmes que ele mesmo dirigiu (Dublê de Corpo, onde um vizinho também presencia um assassinato). 

Com o corpo escondido dentro do sofá do apartamento de Danielle, os policiais e a repórter procuram pelo apartamento e nada encontram. A partir daí a repórter bisbilhoteira sai para investigar por conta própria e provar que o que viu foi real. Encontra um personagem que lhe mostrará a verdadeira identidade de Danielle, que foi separada depois de adulta de sua irmã siamesa e supostamente uma delas sofre de distúrbios psicológicos. Distúrbios psicológicos aliás são temas constantes da carreira de De Palma. Aqui não é diferente: da personagem principal, passando pela neurótica psicótica por limpeza que tem medo de pegar germes e doenças, todos fazem parte do panorama de loucura pilotado por De Palma e todos os espectadores estão sujeitos as reviravoltas de suas tramas.

Tratada como louca, Grace precisa escapar do hospício para onde foi parar enquanto mistura delírios com a própria realidade e incorpora a própria irmã de Daniele, suas dores e devaneios - a partir daí só vendo o filme para testemunhar no que isso vai resultar. Irmãs diabólicas também é um filme sobre perda de identidade. Tanto Daniele quanto Dominique são tratadas como se fossem opostas, mas podem ao final ser a mesma pessoa, podem ser a própria Grace ou pode ser tudo fruto da desordem de psíquica de uma delas, porque nos últimos momentos, De Palma já embaralhou o jogo e confundiu o espectador, deixando todos sem saber quem realmente é culpado e quem realmente é louco nessa trama toda. 

Cotação: 3,5/5

Desconte a péssima trama investigativa policial, a interpretação caricata de Jennifer Salt e seja feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...