terça-feira, 12 de novembro de 2013

Top 10 - Filmes Obviamente Inspirados por Hitchcock

Por Ravenna Hannibal



OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOIIIIII
Olha, gente, eu estava em umas férias prolongadas que tive que interromper por que a folgada da Tia Rá resolver fazer um tour no Mundo Inferior pra conhecer melhor o Hades. Por mim ela fica lá.
Vocês não devem nem lembrar da Hanni aqui, mas eu voltei e voltei pra ficar.
E pra começar em grande estilo, vou falar sobre os filmes dos diretores recalcados que TENTAM ser igual o tio Hitchcock e NÃO conseguem.
Assim gente, todo mundo sabe que todo suspense que preste hoje tem uma influencia mínima que seja do Alfie, né? Técnicas que ele inventou e reinventou são infinitamente reutilizadas, algumas poucas vezes, outras são usadas tantas vezes que virou clichê. 
Mas também tem aqueles filmes que são OBVIAMENTE, CLARAMENTE, DESCARADAMENTE inspirados em obras do Alfie. Você é leigo meu bem? Não consegue perceber referências, essas coisas? Ok, Hanni aqui te ajuda. Escolhi 10 presepadas – umas boas, umas péssimas – pra ilustrar o que to tentando dizer pra vocês. Como não é exatamente um TOP 10 de melhores e sim uma lista, não coloquei em ordem de qualidade e sim em ordem cronológica decrescente. Segue listinha!


1 – Segredos de Sangue (Stoker, 2013)

A estreia de Park Chan-Wook (Oldboy) em Hollywood, e a estreia do er... ator Wentworth Miller como roteirista (que aqui tem a ajuda de Erin Cressida Wilson, de “O Preço da Traição” e “Secretária”) é morna. Ela tem um contraste gritante entre o estilo visual impecável e criativo e um roteiro que falha em criar uma história realmente interessante. A influência de Hitchcock é TÃO óbvia que chega a parecer forçada. A começar da trama do tio que chega em casa e desperta a discórdia. O olha! O tio se chama Charles. Tio Charlie, exatamente como em “A Sombra de uma Dúvida” do Alfie! Mas as referências não param por aí, além das semelhanças de roteiro com o filme citado acima, os assassinatos que ocorrem possuem uma veia de “Frenesi” e há cenas referência à “Psicose” e “Marnie”. O roteiro é típico. O filme está nessa lista não é a toa.

2 – O Turista (The Tourist, 2010)

Angelina Jolie e Johnny Depp estrelam (sem muito brilho, porém), esse requintado mix de romance, suspense e ação, que é obviamente hitchcockeano em seu enredo que lembra filmes como “Ladrão de Casaca”, “Intriga Internacional”, e em menor escala “Marnie”. 
Os elementos são os mesmos, uma bela mulher protagonista que se envolve com um suspeito de roubo que está sendo procurado e acaba agindo como agente dupla ao conquistar o moço e passar informações para a polícia. O jogo de gato e rato, o suspense  sem grandes quebra-cabeças a serem resolvidos e ainda assim com plot twist no final, revelam a influência de Hitchcock na trama. Uma pena que apesar de bem feito, a química entre Jolie e Depp é ausente, o filme não provoque muito o espectador e acaba sendo esquecível.


3 – Enterrado Vivo (Buried, 2010)

O filme de estreia de Rodrigo Cortés já figurou dois textos no blog: uma resenha sobre ele mesmo e o primeiro (e último até agora) episódio da minha Cozinha. Em ambos os textos, destaquei as influências claras à Hitchcock, a começar pela ideia desafiadora de se passar em um único ambiente fechado , trilha sonora e técnicas de filmagem.

4 – Ilha do Medo (Shutter Island, 2009)

Baseado no livro de Denis Lehane (o mesmo que escreveu Sobre Meninos e Lobos), “Ilha do Medo” é um filme do Scorsese que não é diretamente inspirado em Hitchcock em seu enredo. Mas a começar por assuntos como relacionamentos mal resolvidos, obsessão e atmosfera doentia, ele já lembra o (infinitamente superior) “Um Corpo que Cai” (e uma cena obviamente inspirada no filme). Mas as semelhanças vão além disso: flertando também com Stanley Kubrick, Scorsese referencia Psicose, Marnie e Intriga Internacional. Além do clima constante de suspense, técnicas de filmagem e desenvolvimento calmo, o filme ainda contém uma atmosfera de conspiração e um plot twist dignos do Mestre do Suspense.

5 – O Inquilino (The Lodger, 2009)

Também figurou na minha cozinha. Este filme é uma releitura do livro que deu origem ao filme de mesmo nome da fase inglesa do mestre Hitchcock. O filme infelizmente tem vários furos de roteiro, e por várias vezes percebe-se que seu orçamento foi baixo. Mas é repleto de referências visuais ao diretor que vão muito além do enredo, a violência apenas sugerida, os movimentos de câmera, enquadramentos, e outras coisas, revelam a grande influência do Alfie sobre o diretor.

6 – Paranoia (Disturbia, 2007)

Paranoia não é um filme inspirado em Hitchcock. É a releitura de Hitchcock. Dirigido por DJ Caruso, Paranoia é uma grande besteira. Uma besteira que pode ser resumida em “A versão teen sessão da tarde de “Janela Indiscreta”. Mas por mais que seja uma besteira repleta de clichês e sem nem metade da genialidade do original, é bem divertido. A trama é praticamente a mesma, só que com tecnologia e adolescentes.

7 – Plano de Voo (Flight Plan, 2004)
Jodie Foster estrela esse filme que é obviamente inspirado em “A Dama Oculta”, filme de 1938 da fase inglesa de Hitchcock e um dos meus preferidos do tio. Na trama, os passageiros de um trem aguardam a neve ser retirada dos trilhos numa pousada. Nesse mesmo tempo, a protagonista conhece uma simpática senhorinha, que embarca no trem com eles. Durante a viagem porém, a senhora some misteriosamente e os passageiros dizem que ela não existe. Na trama de Plano de Voo, Jodie Foster interpreta uma mãe cuja filha desaparece em pleno voo e as pessoas do avião dizem que ela embarcou sozinha.

8 – O Homem que Copiava (2003)

Sim! Este é um filme brasileiro, um Hitchcock tupiniquim. Esse filme é muito menos do que poderia ser com o roteiro que tem. Mas está longe de ser ruim. Apesar da qualidade de imagem não tão boa, a direção é eficiente em criar ótimas rimas narrativas e o roteiro é ótimo e envolve elementos básicos das narrativas preferidas do Hitchcock: roubo, assassinato e relações doentias. Além das referências, claro, das quais a mais óbvia é ao filme “Janela Indiscreta”. Vale a pena dar uma conferida.

9 – Revelação (What Lies Beneath – 2000)

Revelação trata-se principalmente de um tema que Hitchcock não gostava de abordar: o sobrenatural. Mas as referências a ele são numerosas para serem ignoradas.
A começar pelo início “Janela Indiscreta”, depois a tentativa de Zemeckis de transformar as banheiras do filme no chuveiro de “Psicose” e os ângulos criativos que parecem saídos de um genuíno Hitchcock. Uma pena que o filme não tem a mesma sutileza do mestre, senão seria memorável!


10 – Um Crime Perfeito (A Perfect Murder, 1998)

Esse é outro que não se limita a referências. É praticamente uma releitura de “Disque M Para Matar”. É um bom filme, mas não chega a ser uma obra prima como o do mestre. Até por que, Gwyneth Paltrow NUNCA será Grace Kelly, né, gente?

E aí, queridinhos, lembram de mais algum pra colocar na lista?

Um comentário:

  1. Gostei da sua lista. Gostaria da sua opinião sobre A Estrada Perdida (Lost Highway - 1997), Dublê de Corpo ( Body Double - 1984) e Vestida Para Matar (Dressed to Kill - 1980)?


    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...