domingo, 10 de novembro de 2013

Tubarão 3 - 1983



Por Jason

No terceiro episódio da série, continuação dos sucessos anteriores da franquia, o local da ação é deslocado, do povoado de Amity para a Flórida. Sai o xerife Brody e entra em cena seu filho Mike (Dennis Quaid, jovem e já inexpressivo). Lá, um parque aquático moderno, misturando atrações para toda a família é construído e está prestes a inaugurar. O parque conta com dois golfinhos, uma orca e outros animais como tubarões de espécies menores, possuindo um circuito por baixo da água, que permite aos visitantes apreciarem o fundo do mar e um circuito de esqui para exibições públicas. Todos os animais são cuidados pela bióloga Kay e a administração é feita pelo ganancioso Calvin.

Numa noite, um dos funcionários do parque é atacado e morto, dado como desaparecido em seguida. Mais tarde, Kay e seu namorado Mike descobrem que há um tubarão nas redondezas. A mulher, burra, decide levar o tubarão para o parque, com a ideia de que isso atrairia mais visitantes (embora quase tenham morrido comida pela criatura, ela decide cuidar dele) e com a desculpa que eles não possuem um tubarão branco em cativeiro (!?). Ambos saem para capturar o animal, mas acabam pegando outro menor, que morre no cativeiro. O bicho gigante começa então a fazer estrago no parque, o que vai resultar em um acidente envolvendo os visitantes e uma trama mirabolante para capturá-lo vivo ou morto.

Além de Dennis Quaid como Mike, o filme traz também Louis Gossett Jr, que seria premiado no mesmo ano em que esta bomba foi lançada pela sua interpretação em A força do destino. A ideia do filme é facilmente conhecida e aceita pelo público - parques que não dão certo não eram novidades no cinema até ali. Acontece que Tubarão 3 é mal filmado. As cenas subaquáticas são pessimamente iluminadas e os efeitos especiais, espalhafatosos, são desastrosos - a direção não sabe como usá-los. 

Impossível não rir com o tubarão, que vai dar as caras no aquário quase que sorrindo para o povo em pânico durante um jantar. Não contente, o tubarão engole um personagem inteiro (!!!) e vai mastigá-lo (!!!). Cheio de mágoa de caboclo, o tubarão vai atacar a sala de controle do parque carregando os pedaços do homem que engoliu e que tem em suas mãos a granada que usaria para explodi-lo. Claro, um dos heróis vai lá tentar meter a mão na boca do bicho para completar o plano de destruir o animal, o que resulta numa das cenas mais ridículas e mal elaboradas do cinema. 

O mais impressionante é que nesse roteiro consta o nome do ótimo Richard Matheson e é difícil acreditar que alguém com uma capacidade sobrenatural como Matheson tenha assinado o roteiro dessa tosqueira de marca maior - uma prova de que todo mundo às vezes erra feio. Talvez pelo apelo do 3D em que foi lançado, Tubarão 3 não tenha sido exatamente um fracasso. A um custo de 18 milhões, arrecadou quase 5 vezes mais garantindo lucro para a produção que só seria superada em porqueira pela continuação, o maravilhoso trash impagável Tubarão 4 - a vingança.

Cotação: 0/5 

Tosco de doer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...