terça-feira, 31 de dezembro de 2013

TOP 10 - 2º Prêmio Podreira 2013 - Feliz Ano Novo!





Por Tia Rá


Gente, é com muita satisfação que anuncio para todos os leitores o meu 2º Prêmio Podreira do Ano, que eu pessoalmente entregarei para aqueles filmes e aquelas pessoas que, com muito esforço e empenho, PARA A NOSSA ALEGRIA, fizeram bastante toletada nos cinemas este ano, né, povo? Porque eles merecem!!!


É claro que esse ano distribuímos muuuuuuuuuitas sapatadas aqui no blog, o que fez com que as 10 categorias do meu prêmio pessoal me dessem muuuuuuuuuito trabalho para realizar, gente!!! Vamos reduzir à cinzas essas porcarias que volta e meia somos obrigadas a suportar e perdermos nossos preciosos minutos de vida, né gente? Porque a tia aqui não é obrigada!

Essa é a minha, a sua, A NOSSA chance de destruir aquele filme ou reduzir a cinzas aquele ator flopado sem ter nenhum xiita baixo astral enchendo nossa paciência (RISOS).


SOLTA O SOM, XANA MONTANHA, 
porque hoje a festa é sua, hoje a festa é nossa, é de quem vier, de quem quiser!


"essa é minha festa e hoje eu vou dar o... meu cool
fumar salsicha que tem formato de... peru
vou bater xiba e pegar numa boonda
fique a vontade me chame de vagaboonda"

MAIOR. DIVA. EVER!


My Epic Podreira Awards 2012
(eleitos pela maravilhosa Tia Rá)




Filme podreira do ano: Depois da Terra 

Olha que foi um ano muito dificeeeooo... tínhamos como indicados também:

A) João e Maria - Caçadores de bruxa
B) Todo mundo em pânico 5
C) GI JOE - Retaliação
D) Os amantes passageiros
E) O abrigo
F) O massacre da merda elétrica 3D
G) RIPD Agentes do além
H) Meu passado me condena
I) Homem de Ferro 3 (sério gente, respeito quem gostou, mas neeemmmmmm)
J) Os instrumentos mortais
K) Thor, o mundo sombrio
L) A morte do demônio
M) Kick Ass 2
N) O grande Gatsby
O) Velozes e furiosos 6
P ) O jogo do exterminador
Q) O homem de aço
R) Círculo do Fogo (é, nem vem, filme paia).
S) A hospedeira, Riddick 3, O ataque, As bem armadas, Duro de Matar Um bom dia para morrer, Família do Bagulho, Gente Grande 2, Jobs, Peste Jackson e o Mar de Monstros, Floperine Imortal, Para maiores... Gente, é muito bagulho!!!!


Isso só para citar alguns, vocês entendem a minha situação? Mas num dá... o cara conseguiu de novo! Saiadalama fez um filme onde tá tudo errado, flopou lindamente e nada funciona, nem Will Smith, que pagou essa ladainha pra promover o filho trash, que troço cagado da porra. Gente feia, roteiro vagabundo, direção capenga, ausência de drama, de emoção, de comicidade, uma nulidade total - e Jaden Smith, que por favor, merece o seu Framboesa de Ouro pra ver se para de forçar a barra, né amigossss?

Nos vemos no Framboesa de Ouro, filme lixo.

O HORROR, O HORRRRROOOOORRRR!!!

Bônus: Jada no pagode


"- Diz aí minha filha que cê vai fazer...? 
-Vou dar a boonda pra me defender!
- Ele vai dar uma bundada na barata dela, 
ele vai dar uma bundada na barata delaaaa..."



Pior CGI do ano: Riddick 3



Opa!!! Não tem como, é dele!!! Pela quantidade, pela qualidade duvidosa, eu me senti vendo um desenho de quinta categoria nesse lixo, por tudo que é podre nessa porcaria, pode levar que é teu meu filho! Tia Rá não precisa falar muito, né pessoas? RISOS MALÉFICOS. Aliás, não é só os efeitos que estão podres, atuações estão piores, só pra variar. Mas olha a concorrência disso...

A) Instrumentos Mortais
B) João e Maria
C) Depois da Terra
D) O homem de aço (ou JOGO PARA PS3)
E) Peste Jegueson e o Mar de Monstro.
F) O ataque
G) Duro de Matar Um bom dia para morrer
H) Wolverine Namoral
i) RIPD

Todos merecedores do prêmio, sem dúvidas! E esse photoshop todo nesse poster, COMOLIDAR? MERECE por todo o conjunto da obra! PALMAAAAAAAAS! 

O HORROR, O HORROR!




Canção podreira do ano: todas de O grande Gatsby



Aqui, não houve disputa palmo a palmo, foi faceeeeoooo. Tivemos concorrentes de peso no quesito podreira musical, é claro. 

A) Bionça, minha diva, cantando aquela coisa pavorosa de Flopic, "Rise Up",

B) a trash "I See Fire", de "O Hobbit: A Desolação de Smaug" (até quando Peter Jacko???),  

C) a chatérrima "Monsters University", de "Universidade Monstros" (saudades Disney, os clássicos mandando BEIJOS para vocês! MUÁ), 

D) "When The Darkness Comes", de "Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos", que eu quase tive um troço ao ouvir, que diabo de música horrorosa é essa? 

Além de todas as do desenho Turbo, é óbvio. Mas nada supera a trilha sonora horrível de O grande Gatsby - e nem venham se queixar da tia, porque o troço é trash. Quede Mula Rouge, Baaaazzzzz??? As viada tão doida esperano outro sucesso como aquele, neam? ME SALVA LADY RÁ! 

O HORROR, O HORROR!




Roteiro trash do ano: Os instrumentos mortais



Olha, gente, mais um caso de disputa acirrada DEMAIS! Mas a tia é Highlander e só pode haver um, com tanta gente podre na categoria. Não dá! Temos que distribuir mais prêmios para esse povo todo!

De um lado, temos a Jada Smith super heroína lutando contra ETS naquela ladainha Depois da Terra; 

A) toda aquela pootaria de Jumper... digo, Thor a bomba sombria, aquele vai e vem da Loka e aquele povo se teletransportando, não dá... ; 

B) aquele plot twist super hiper mega vagabundo de Homem de Ferro 3, com aquele guri infeliz, MELDELS! 

C) O jogo de vídeo game homem de aço, gente... QUEM LEMBRA?

D) Monstro brigando com robô e gente em Circulo do Flop, vitrine pra vender efeito especial;

E) O ataque, a bomba (MAIS UMA) de Roland Emmerich; só que dessa vez não colou e FLOPOU! 

F) As bem armadas, com Songa Bullock que tava pegando o que aparecesse depois de flopar com o Uóscar até chegar... Gravidade;

E aqueles que não possuem um roteiro, por isso não podem entrar na categoria, como João e Maria, Riddick 3, Meu passado me condena, O massacre da Serra Elétrica 3D, xiii.... vamo ficar aqui até ano que vem desse jeito... é muito lixo acumulado!

Mas nada se compara a essa mistura pobre de lobisomem com vampiro com demônio com macumba com virgem de cabelo vermelho com incesto com cão dos infernos com magia feitiçaria caboclismo MEUDEUSDOCEUUUUUU, que misera de porra de caralho é esse minha gente?


PARABÉNS! UUUUUUUUUU!!!!




Atriz podreira do ano: Lindsay Lohan como ela mesma em Todo Mundo em Pânico 5 e The Canyons

Tira a roupaaaa fica doidaaaa 
eu sempre perdoo você, te amamos demaaaaaiisssss!!!


Essa foi FÁCIIILLLLLLLLLLL!!! Não, gente, não temos Chuparis Hilton na categoria! LOL.

Neste ano tivemos:

A) Amy AdamssszzzZZZZZZZZZZZZzzzzMORTECEREBRAL em O homem de aço, fazendo aquela cara de songa monga que só ela sabe fazer;
B) XMEN ORIGENS: Gui Paltrow, a nova XMEN em Homem de Ferro 3;
C) J Neston apelano e tirano a roupa em Familia do Bagulho (saudades, Angelina). 
D) Xoxa Ronan com cara de alma penada em A hospedeira
E) Alexandra Dadaria, a segunda maior candidata, por dois filmes, Peste Jegueson e Massacre da Serra Elétrica, oh menina inútil
F) Cloe Morta duplamente, em Carrie e Kick Ass 2. Pare de fazer beicinho, piriguete mirim e vá atuar que tu não me engana não.
G) Todo o elenco feminino de Velozes e Furiosos 6, SÓ PRA CONSTAR. Nada superaria a Michelina Rodrigão voano daquele jeito, gente... MITO da podreira. OH WAIIIIIIITTT!!!

É claro que temos uma vencedora!!! A nossa diva absoluta do fundo do poço! Li, estamos contido em mais um Framboesa  de Ouro, torcendo por você, você é um exemplo a ser seguido! PARABÉNS AMIGA! VOCÊ MERECE! \O/



Ator podreira do ano: Jaden Smith

- Respira beesha se não eu dou na sua cara!


Fácccciilllllllllllllll!!! Com esse flop dando preju pra estúdio nas costas, Jaden gritou para a Tia aqui e disse É MEU E NINGUÉM TASCAAAA!!! hahahaha Mas teve tão ou mais piores! Saca só...

A) TODO o elenco masculino de Instrumentos Mortais, incluindo a tebofera que faz par romântico com a sequelada protagonista. 
B) Adam Sandler (por simplesmente existir no mundo), 
C) James Deen em The Canyons, que como ator de drama fica ótimo como ator porn,
D) Ryan Gaynolds em RIPD que fica lynda sem roupa também, APENAX, e tá prestes a ser a pior misera de todos os tempos, oh ator flopado dos infernos!
E) Charlie Rosca, de Círculo do Flop, dublê de Xana Tatu, uma nova porta em Hollywood
F) Xana Tatu original, comolidar com esse songa monga em O ataque e GI JOE Retaliação? Morre praga. Agradecida.
G) The Rock - qualquer coisa que ele faça
H) Todo o elenco masculino de Velozes e Furiosos 6, só tem bomba (menção honrosa para Paul Walker, que morreu e nunca prestou e só porque morreu todo mundo virou fã, bjs, jogo na cara!).
I) Henry Coveiro, uma porta dupla de músculos em Homem de aço, ruim que é a peste, estudou na mesma escola da Jada, mas Jada tá mais novinha ainda e essa já é pós graduada.
J) O ator principal de Peste Jegueson, Deus me livre dessa bomba!
K) Ashton Cutiner, fazendo o Blow Jobs mais apático que eu com anemia.
L) Chris Hellstom, que é o hell atuano, só fica bom sem roupa na minha cama.

Num dá gente, é muita gente pra premiar, mas quando a Jada entra em cena, você sabe que vai dar errado, o menino parece um robô, Jada não deu chances a concorrência! 

Parabéns, Jada! VOCÊ MERECEEEE! Taki o seu presente, seu lyndo!






Diretor podreira do ano: M. Night Shyamalan




Num ano que tivemos tamanha concorrência, com os péssimos:

A) Zack Snyder (fazendo de O homem de aço um grande videoclipe com fotografia suja de merda, uma papagaiada barulhenta sem tamanho, Dragon Ball Z no final e um lançamento para XBOX nessa aberração - ou todas as coisas juntas), 

B) Baz Luhrmann, que conseguiu transformar o Grande Gatsby numa atração de circo, um desfile de escola de samba, uma parada gay e um parque da Disney, tudo ao mesmo tempo;

C) Roland Emmerich, naquela enorme piada sobre a Casa Branca que ninguém comprou e flopou - porque ele é podre e sem talento mesmo para contar uma história ordinária, só que ninguém ainda se deu conta disso;

D) Sem dor e sem ganho, do nosso eterno diretor podreira que os estúdios pagam milhões porque tem a bunda mais rodada do cinema, Michael Gay;

E) Kimberly Peido, no xexelento Carrie, a XMEN, de Stephanie Meyer;

F) os diretores de A maldição de Chucky, Kick Ass2 e O massacre da serra elétrica, que nem quero saber os nomes pra não morrer de tédio.

Saiadalama conseguiu se superar com essa ficção horrorosa e meia boca, que nem parece que custou mais de 100 milhão de conto com efeitos pobrezas, uma trama horrível, enfadonha, direção de atores nulas, sem suspense, sem drama, sem emoção, um desastre completo.

Volta pro Sexto Sentido, misera, 
que eu num guento mais tanto flop!




Pior atriz coadjuvante: Gina Carano por tudo o que fez
- Num curti naum, minha tia...



Posso fazer nada por ti, inútil. 

Prêmio difícil. Muito difícil. Eu tive que escolher entre:

A) a mãe parindo Superman em O homem de aço e a debiloide da inimiga que fala demais, fica voando e batendo pra lá e pra cá feio bichinho virtual de Playstation;
B) A mãe russa de Kick Ass 2
C) A nave combalida de Depois da Terra
D) A inútil do lança chamas de Instrumentos Mortais
E) A loira biscate fazendo cara de nada mesmo possuída pelo capeta em A morte do demônio
F) A inexpressiva Vagina Carano em qualquer filme, e toda a sua carreira inútil 
G) Carey Mula fazendo cara de mula com enfeite na cabeça em O grande Gatsby
H) Famke Jansen de bruxa barraqueira em João e Maria querendo sair do flop e ainda por cima fazendo assombração em Wolverine
I) A mocreia japonesa de Wolverine 
J) A fantasma mocreia de Sobrenatural 2
K) O elenco feminino de Machete Mataaaaaa huahuahauhuauhauhauhaa


Aí eu lembrei do meu amor por Vagina, que está no caminho certo fazendo cara de nada em Velozes e Furiosos. Vagina é amor, não tem como não amar essa inútil, gente! BEIJOS GATA! VOCÊ MERECE!!!!






Pior ator coadjuvante: Russell Crowe - O homem de aço

- Vô insiná a Louis a jogar o novo Playstation quando ocê crescê 






CHOCADA minha tia!!! Mas vamo combiná... Olha o que eu tinha...

A) o elenco de Instrumentos Mortais para escolhermos os piores atores,
B) mesmo que tenhamos uma oferta digna para o prêmio podreira da Tia no elenco de Thor, 
C) O filho de Bruce Willis em Duro de Matar um bom dia para morrer
D) Will Smith com um controle de XBOX na mão fazendo o filho de brinquedo em Depois da Terra;
E) Jeff Bridges repetindo papel em RIPD por preguiça
F) o elenco péssimo de Peste Jegueson e Mar dos monstro

Nada supera essa coisa fazendo assombração e mandando apertar os controles do Playstation com a insossa da Louis Lane em O homem de aço. Adoro o Russell, mas pelo amor de Deus, amigo... me ajuda... Num bastasse ter que lhe aturar cantarolando naquela bomba podre de Os miserentos, você me vem com essa? "Aperte o YXYXXXYXAB pra dar brutality, LOUIS!"; "Tira esse pen drive daí que num tem 8 giga"; "vire pra direita pro sensor do controle processar". W-T-F? Tia Rá não é obrigada a isso, faz o favor e volta como Gladiador?! Pra sempre, tá? Grata! 






Trilha sonora mais podreira: empate técnico!!!!
O homem de aço
O Grande Gatsby

Outro prêmio difíciiiiiil demais da conta. Tia Rá ficou zonza e surda de tanto ouvir essas trilhas sonoras esse ano, mas não poderia deixar passar batido os batuques do afro reggae no carnaval de Salvador para O homem de aço, essa pérola trash composta pela mão pesada de Hans Zimmer, que quando quer faz coisa boa, mas desde a batucada descompassada de Batman O cavaleiro das trevas parece que se perdeu no meio do caminho. Alguém ajuda essa alma? VOLTE PARA A LUZ, HANS! A LUZ É BOA!

E olha que a concorrência foi pesadíssima!

A) a reciclagem barata e insossa de Howard Shore - O hobbit; 
B) Bichana, naquele batuque zabumba e forró de Sobrenatural Parte 2
C) James Newton Howard, que tarra bêbado quando fez aquela porcaria de Depois da Terra (gente, mas nada prestou nesse filme, que é que isso...)
D) as trilhas sonoras de O ataque, RIPD, e a baixaria barulhenta de Círculo do Flop, pelamor né gente... desapartem esse lixo de perto de mim!

Mas nada superará o carnaval de axé de Hans misturado a enésima potência do trash da trilha porca que tentou ser atual, pop e toda uma viadagem de O grande Gatsby, mas GRAÇAS AO PODER UNGIDO DO SENHOR foi esquecida para sempre do Globo de Ouro e espero que seja também do Uóscar, porque ninguém merece... Estou tendo pesadelos!!! O HORROR, O HORROR ELEVADO A MÁXIMA POTÊNCIA!!!

E isso é tudo, meus bbs! Não se esqueçam, esse é um blog para tirar sarro dos filmes e dessas personalidades, então, sosseguem a piriquitinha de vocês e vamos pirraçar porque o bom da vida é ser feliz!


BEIJOS DA TIA! MUÁ!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Eu quero - Filmes esperados para 2014



- Não se vá ainda, 2013!!!!


AINDA TEM A SAIDEIRA!!!!

Vamos para a lista do que vem em 2014 gente? ANOTAÍ misera que vai ter muito flop pra gente descer sapatada mas também muito sucesso e muita coisa boa pra gente amar eternamente!!!!

Qual será a maior bilheteria do ano? Qual será o melhor filme? Que comecem os Jogos Mortais. Digo... as apostas...


Atividade Paranormal: Marcados pelo Mal / Paranormal Activity: The Marked Ones – estréia em 3 de janeiro de 2014

Ninfomaníaca: Parte 1 / Nymphomaniac: Part 1 – estréia em 10 de janeiro de 2014

Os 47 Ronins / 47 Ronins – estréia em 31 de janeiro de 2014

Uma Aventura Lego / The Lego Movie - estréia em 7 de fevereiro de 2014

RoboCop – estréia em 21 de fevereiro de 2014

Pompéia / Pompeii – estréia em 21 de fevereiro de 2014

300: A Ascensão de um Império / 300: Rise of an Empire – estréia em 7 de março de 2014

Hércules / Hercules: The Legend Begins – estréia em 10 de março de 2014

Need for Speed – estréia em 14 de março de 2014

Sin City 2: A Dama Fatal / Sin City 2: A Dame to Kill For – estréia em 21 de março de 2014

Rio 2 – estréia em 28 de março de 2014

Noé / Noah – estréia em 4 de abril de 2014

Capitão América 2: O Soldado Invernal / Captain America: The Winter Soldier – estréia em 11 de abril de 2014

Transcendence – estréia em 18 de abril de 2014

Divergente / Divergent – estréia em 18 de abril de 2014

Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro / The Amazing Spider Man 2 – estréia em 2 de maio de 2014

Godzilla – estréia em 16 de maio de 2014

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido / X-Men: Days of Future Past – estréia em 23 de maio de 2014

No Limite do Amanhã / Edge of Tomorrow – estréia em 06 de junho de 2014

Como Treinar o seu Dragão 2 / How to Train Your Dragon 2 – estréia em 18 de junho de 2014

Transformers: A Era da Extinção / Transformers: Age Of Extinction – estréia em 18 de julho de 2014

Jupiter Ascending – estréia em 25 de julho de 2014

50 Tons de Cinza / Fifty Shades of Grey – estréia em 1º de agosto de 2014

As Tartarugas Ninja / Teenage Mutant Ninja Turtles – estréia em 8 de agosto de 2014

Guardiões da Galáxia / Guardians of the Galaxy – estréia em 22 de agosto de 2014

Jogos Vorazes – A Esperança: Parte 1 / The Hunger Games: Mockingjay – Part 1 – estréia em 14 de novembro de 2014

Velozes e Furiosos 7 / Fast & Furious 7 – estréia em 21 de novembro de 2014

O Hobbit: Lá e de Volta Outra Vez / The Hobbit: There and Back Again – estréia em 19 de dezembro de 2013


Agora sim, pode sair de cenaaaaa, 2013!!!! 





FELIZ 2014!


Nos vemos em 2014, com mais aloprações, mais mais mais... tudo para vocês! Obrigado pelo carinho e pela hostilidade, rs, pela compreensão ou não, pelas passagens no blog, pelos curtis na página do face! 2013 foi o ano que crescemos e vamos crescer ainda mais no próximo ano graças a vocês!



Lembrem-se: essa bagaça é NOSSA!



Tudo de melhor nessa vida para vocês em 2014!



BEIJOS DA TIA RÁ, MEUS BBs MUTANTES!



Rush - No limite da emoção - 2013



Por Jason

Tive uma boa surpresa com esse drama esportivo que mostra a rivalidade existente entre dois grandes nomes da Fórmula 1, os pilotos James Hunt e Niki Lauda, na década de 70. Ambos eram completamente diferentes um do outro: Hunt, mais intenso e arisco, arrogante, inquieto, mulherengo e cheio de si, enquanto Lauda era mais tranquilo, mas com excesso de confiança, mais contido, frio, mais cerebral - e isso se refletia dentro e fora das pistas.  

Lauda era líder do campeonato e estava pronto para ganhar em 1976. No meio do caminho para o sucesso, um acidente quase mata o piloto no campeonato. O carro bateu em alta velocidade e explodiu, queimando sua face e o deixando entre a vida e a morte. Mas Lauda não se contentou em abandonar o circo da F1 e voltou para a pista, recuperando pontos e fazendo com que o campeonato fosse decidido apenas na última corrida debaixo de uma chuva que não permitia pilotar com nenhuma segurança. 

Lauda perderia naquele ano, mas se consagraria como vencedor no ano seguinte. Mesmo não sendo amigo de Lauda, Hunt tomou as dores do acidente, pois, como piloto, também estava sujeito a acidentes e até a morrer na pista. A relação dos dois parte assim da inimizade para um tipo de admiração e respeito mútuo, mesmo com personalidades tão diferentes. O filme ainda traz uma cena em que o brasileiro Emerson Fittipaldi é citado. Quanto a Hunt, a vida de excessos o levaria muito cedo, aos 45 anos.

Daniel Bruhl é sem dúvidas o melhor do time de atores. Ele consegue captar não só nuances, gestuais, aparência, como também a forma de falar e agir do piloto. O ator rouba o filme completamente para si. A conversa que Lauda tem com sua futura esposa antes do casamento mostra bem sua forma de lidar com seus sentimentos fora das pistas - bem como a cena em que a acompanha a comemoração de Hunt, ao ser perguntado pela esposa como ele se sentia - e Daniel consegue resumir tudo de maneira perfeita. 

Em contrapartida, Chris Hemsworth, na concepção do playboy Hunt, não compromete e mostra que pode render alguma coisa se bem trabalhado. Olivia Wilde entra e sai sem dizer a que veio. A trama de romance envolvendo Lauda se perde no meio do caminho, mas a atriz romena Alessandra Maria Lara, par romântico de Daniel em cena, demonstra competência e se sai melhor (olho nela). 

O filme tem uma boa montagem, necessária para transmitir a emoção das corridas de perto para o espectador e vem também com bons efeitos visuais que reconstituem precisamente as corridas. Apressa-se depois de meia hora, dá saltos de tempo vez ou outra e embora não comprometa o entendimento e o roteiro, perde em dramaticidade (depois do acidente, logo o filme avança para colocar Lauda novamente na pista e finalizar). Mas mesmo quem não é fã de corridas pode se envolver com a trama graças a força e o desenvolvimentos dos dois personagens centrais, tornando o filme sólido e o resultado final consistente.

Cotação: 3,5/5

Animatrix - 2003



Por Jason


Foi ótimo revisitar essa coleção de curtas que expandem o universo de Matrix (1999) e perceber o quanto de material rico os irmãos Wachowski tinham nas mãos e o quanto muito da mitologia foi por água abaixo no terceiro filme da série. A dica de filme de hoje é a coleção de nove curtas, que misturam animação tradicional, computação gráfica e anime japonês baseados em Matrix

A série trata das histórias que antecedem Matrix, dos dias finais das últimas cidades da humanidade, da guerra contra as máquinas e da queda da espécie humana. Não vou falar quem são os melhores, mas os meus preferidos ainda são os três primeiros (O voo final de Osíris, O Segundo Renascer - Partes I & II) e o último, O Robô Sensível. O visual destas produções salta os olhos. O Voo final de Osíris foi feito com a mesma tecnologia de captura de movimentos empregada em filmes como Final Fantasy e poderia perfeitamente ser incorporado ao segundo ou terceiro filme. Claro que, dez anos se passaram e a tecnologia evoluiu - a ponto de fazer com que a animação pareça ser mais capenga do que um jogo saído do Playstation 4. Mas mesmo assim, vale a visita. 

O último mistura animação 3D com cenários pré renderizados, com personagens 2D, também como num jogo de vídeo game, mas em uma trama interessantíssima e visual surreal colorido (a maior parte é o ponto de vista de uma máquina reprogramada não para servir o ser humano, mais para defender e aceitá-lo, o que, ao final das contas, não dá muito certo). Embora inconsistente e com alguns furos, o segundo e o terceiro contam como os robôs chegaram ao poder, numa crítica massiva ao ser humano e suas atitudes erradas no passado que influenciaram diretamente o futuro sombrio. É o mais politizado e mais irônico. 

Completam o pacote uma história de superação em O Recorde Mundial, (que parece solta dentro dos nove); Era Uma vez um Garoto com um menino tentando acordar para a realidade - e com um final interessante; o anime Coração de Soldado e os chatos Além da Realidade e Uma História de Detetive (embora este último tenha a ver com uma personagem mitológica da série terminada daquela maneira frouxa no terceiro filme, Trinity).

Matrix é com certeza um dos maiores filmes de ficção da década de 90 e a série, embora irregular, rendeu mais de 1,5 bilhões em bilheterias. Virou uma marca lucrativa, com uma tonelada de quinquilharias, foi sucesso de público e de crítica e fez o nome dos irmãos Wachowski no cinema (e eles nunca mais atingiram tal sucesso). Os irmãos criaram um universo ainda prestigiado por muitos, que mistura conceitos e estéticas, de religião, quadrinhos, games, literatura, filosofia passando por ideias de ficção trabalhadas em muitos outros filmes de sucesso. O tempo, no entanto, vem fazendo, quase quinze anos depois do lançamento do primeiro filme, com que o universo pare de se expandir. 

Não seria a hora de voltarmos para Matrix?  

Cotação: 4/5

domingo, 29 de dezembro de 2013

Frances Ha (Idem) - 2013






Direção: Noah Baumbach
Roteiro: Noah Baumbach, Greta Gerwig
Elenco: Greta Gerwig, Mickey Sumner, Adrian Driver, Michael Esper, Grace Gummer, Charlotte D´Amboise, Christine e Gordon Gerwig.
Sinopse: Frances (Greta Gerwig) divide um apartamento em Nova York com Sophie (Mickey Sumner), sua melhor amiga. Brincalhona e com ar de quem não deseja crescer, ela recusa o convite do namorado para que more com ele justamente para não deixar Sophie sozinha. Entretanto, a amiga não toma a mesma atitude quando surge a oportunidade de se mudar para um apartamento melhor localizado, mesmo que isto signifique que ela e Frances passem a morar em locais diferentes. A partir de então tem início a peregrinação de Frances em busca de um novo lugar que se adeque às suas finanças, já que ela é apenas aluna em uma companhia de dança à espera de uma chance de integrar o grupo de bailarinos que encenará o espetáculo de Natal. Mesmo diante das dificuldades, Frances tenta manter o alto astral diante os problemas que a vida adulta traz.

Por Lady Rá

Sabe aquele filminho indie que se destaca entre os “pesos pesados” do cinema e ganham o carinho da crítica especializada e dos hipsters de plantão e que TODO MUNDO AMA? Então, esse é Frances Ha. Confesso que fiquei muito interessada quando li a sinopse, pensei: “Deve ser daquelas comédias dramáticas bem divertidas, emotivas, que no final nos deixa com o coração mais leve e um sorriso no rosto. Certeza que vou adorar” Pois não foi bem assim e vou explicar porque.


O filme narra as desventuras da insuportável, anta, desastrada, desorientada e imatura Frances Halladay, uma jovem de 27 anos morando tem Nova York com sua melhor amiga, tentando sobreviver da dança Quando a amiga decide deixar o apartamento pra cuidar da vida dela, porque é isso que jovens nessa idade devem fazer, Frances fica totalmente perdida. É como se sua amiga fosse seu oxigênio, ela já era complicada antes, mas quando a amiga se muda, ela fica totalmente perdida, tentando arrumar um lugar para ficar e não se encaixando em nenhum meio, em lugar algum. Daí em diante a moça de 27 anos, com idade mental de 13, passa a tomar decisões absurdas pra dar um rumo na sua vida, como arrumar uma grande dívida numa viagem frustrada a Paris ou rejeitar uma proposta de emprego que resolveria grande parte dos seus problemas.

Uma coisa devo admitir, Frances Ha possui diálogos autênticos, tão autênticos que as vezes parece que os atores não interpretam, mas sim, improvisam cada cena. Esse é um grande diferencial e prato cheio para hipsters, porém embora pareça autêntica, a maioria  das conversas é vazia e tediosa. Os jovens falam de profissão, sexo, relacionamento, arte, com a profundidade de um pires. E dá-lhe ceninha de dança querendo representar algo, dá-lhe protagonista correndo e fazendo firula pelas ruas de Nova York porque lá é uma cidade legal, dá-lhe jovens deitados na cama, no sofá, vendo TV ou falando sobre futilidades enquanto fumam, dá-lhe trilha sonora charmosa, dá-lhe fotografia ajeitadinha pra encher os olhos dos críticos que se ligam muito na estética. Tudo seguindo uma fórmula indie, tudo muito legalzinho, tudo muito charmosinho, forçado e desconexo. Inclusive a desnecessária escolha de filmar em preto e branco, aparentemente homenageando a Nouvelle Vague.

A atriz Greta Gerwig até simpática e esforçada, em um ou dois momentos eu achei sua Frances fofa, mas na maioria das vezes eu quis lhe dar uma sacudida para ela parar de frescura. Talvez eu esteja sendo totalmente parcial nessa análise, talvez não, estou sendo parcial, essa história em crítica imparcial é um mito. O filme conquistou muitos fãs e foi muito elogiado, muitos jovens na mesma situação da protagonista devem se identificar com ela. Um ponto positivo a meu ver é como o diretor retrata Paris, sem aquela “mágica” clichê de outras produções, a própria Frances em determinado momento diz que sempre imaginou que Paris fosse “mágica”, mas quando ela vai para lá, ela vê que não há Paris que te tire da merda e sua vida é uma merda.

Ainda devo admitir que o filme é esteticamente bem cuidado, mas para mim é como uma bela bolha de sabão. Agrada aos olhos, mas é vazia e acaba estourando no ar e sendo esquecida. Eu prefiro esquecer que perdi tempo com esse sonífero.

Nota: 1/5

            TRAILER

 

sábado, 28 de dezembro de 2013

O retiro - 2011



Por Tia Rá

Olha, é por essas e outras que eu evito certos tipos de filmes... Lady Rá mesmo insiste em querer assistir uns filmes desconhecidos, uns alternativos, seja lá o que Deus quiser... Quando O asilo começou eu achei que tarra num filme tipo ficção, com paisagem parecida, eu pensei gente, baixei o filme certo?

Mas enfim... O filme então começa a rolar. Tem um casal, meu Cillian Murphy, que é ótimo (tem aquela cara de dadeira demais, mas a gente aceita porque tem TALENTO) e a péssima Xandy Newton, que quando faz cara de choro parece a tia fazeno aquele toletão no WC. Os dois tão em crise, tão refugiado na ilha, passando uma temporada ETC E TALS. Só que de repente chega um homem desconhecido todo arrombado, metralhado dos pés a cabeça. 

PARA ESSA MERDA QUE EU QUERO PERGUNTAR.

Você tá no meio do nada, sem conexão com o continente, isolado do mundo, só tem você e sua mulher, de repente... chega um home que tu nunca viu na vida, tá ferido, tá morreno e tem uma arma, que é que tu faz?

A) Termina de matar, depois vai lá e pergunta quem é, o que quer, de onde veio.
B) Leva pra casa, ora, tu nunca viu mesmo, tá ali na ilha, deve ser AMIGO.

Claro, eles fazem a segunda opção. Tem a oportunidade de despachar o exu pra longe, mas depois de tirar a arma dele quando ele dorme, o exuzinho avisa que o mundo tá se acabando, tá rolano virus lá fora no mundo e vai todo mundo morrer, eles tem que ficar na casa protegido. Você, claro, num acredita, mas também num investiga. Ao invés de meter bala na peste e enterrar no quintal de casa, não... vai nas onda dele. Afe.

Num guento com a péssima pontaria do Cil Murphy, que faz a água ferver na panela e na hora de atirar, atira pra os infernos. Num guento com o fato de que o Cil descobre que o cara matou o povo, tá com uma espingarda na cabeça do cara e ao invés de atirar logo pra despachar o home, não, fica com aquela enrolassaum e aquela conversa dos infernos. E, só pra constar... Num guento com o Cil, que tá bateno as botas, chega e dá aquele ninja Giraia no cara e a lerda retardada não atira com a espingarda no home pra terminar de matar. 

Adoro a Jame Bella, aquele de Billy Elliot que o diretor papava nos intervalos de gravassaum, mas resolveu casar e ter baby com uma Ana Claudia pra dizer que num é dadeira. Só que a gente tem que aturar uma hora e meia de muita enrolada e uma revelação xoxa que não tem quem suporte. Num guento o filme. Num guento Xandy Newton matando o Cil. Num guento o final com todo mundo morrendo (eu disse OIIII???). Eu mermu num me guento maish com meu português, nem eu entendo que porra é que tou escrevendo hahahaaha. 

É demaish pro meu eu, gente.

Cota: 1/5

Morre misera!

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Corrida Silenciosa - 1972



Por Jason

A abertura de Corrida Silenciosa dá uma ideia da personalidade e do caráter de Lowell (Bruce Dern). Cuidadoso com os vegetais, ele quase agride os amigos que brincam de kart destruindo o jardim. O personagem passou oito anos cuidando do projeto de recriação de florestas, porque o planeta Terra foi completamente devastado no futuro que conhecemos do filme.  

Ao receber ordens para destruir o projeto, porque a Terra conseguiu um meio artificial de viver sem o verde das florestas e sem os animais que nela habitavam, Lowell entra em colapso psicológico. A partir daí, ele se vê obrigado a defender a floresta que construiu durante todo o tempo custe o que custar, mesmo que para isso precise matar seus companheiros de viagem que querem destruir as redomas carregadas de vegetais, já que estas são as únicas memórias de um planeta que não existe mais. 

Conduzindo a nave para Saturno, Lowell começa a sabotá-la. Despacha os outros companheiros, usa os robôs assistentes (percursores de R2 D2 da saga Star Wars) para uma cirurgia numa perna e para enterrar sua primeira vítima. Começa a conviver e a se comunicar com os robôs e, quando a floresta começa a morrer por falta de sol, uma equipe que acredita que ele esteja perdido no espaço é enviada para o seu resgate. Lowell solta a carga, para que ela vague no espaço e seja cuidada pelos robôs e o espectador presencia o final que mistura poesia e pessimismo.

Chama atenção no filme todo o esmero visual e os belos efeitos especiais. As naves possuem redomas gigantes, verdadeiras cúpulas de estufas que carregam pequenas florestas e ecossistemas, que são o que restou da Terra decadente. Já Bruce Dern segura o filme passando toda a piração de Lowell e despertando tanto amor quanto ódio na mesma medida. Descarte a trilha sonora, que inclui uma terrível música tema que toca no filme por três vezes e a lentidão com que o filme se arrasta miseravelmente e não desenvolve os outros personagens companheiros de Lowell na empreitada - são todos descartáveis e unidimensionais.

Contudo, Corrida Silenciosa é um alarme para a sociedade, uma mensagem ecológica violenta que ecoa desde a década de 70 em que foi realizado. Curiosamente, o tema ainda se mantém atual e faz sucesso - Avatar que o diga - mas pelo jeito, de lá pra cá, quase ninguém aprendeu a lição.

Cotação: 3/5

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Pra virar filme... ou não! - R.I.P


Por Tia Rá

A tia aqui realmente achou interessante essa (APENAS ESSA) trama da HQ abaixo, "R.I.P" (traduzino: "morre misera" - olha que tudo esse títchulo, num combina com a tia? kkkkkkkkkkkkkkk) com história do Demo Lindeloka... Me bati com isso no Quadrinhos Inglórios e decidi compartilhar com ocês... adoro toda essa pootaria, magya e beleza de viagens no tempo! Prepara o DeLorean e VEM COMIIIIIIIIIIIIIIIIIIGGGOOOOOOOOOOOOO!!!! 

Ah, mas se você num entendeu lhufas, num se preocupa, imagina eu que sou analphabeta? RISOS

Pra melhor visualizar, clica com o botão direito e abre em uma nova janela, lá você pode ampliar tentei fazer a magya da ampliação aqui marrrr num foi 

Bjs da tia!








Os suspeitos - 2013



Por Tia Rá

Olha, o povo aqui tava discutindo quem ia falar sobre o filme, se era o Jason, se era a Hanni, se era eu, a Lady Ratazana nem aparece aqui mais, tá metida, ficou ryka, decidiu se vender nas Europa. Então como ninguém se decidiu, eu resolvi vir pra cá falar dessa porra mesmo. Fica nessa de não sabe se dá ou se desce, eu dou logo, sou dessas! LOL

Vamos lá... Comolidar com tamanho amor e carinho, tanta paixão, emoção, vida e poder pra esse elenco mara deste filme? Estou chocada. Tá todo mundo bem, num tem o que discutir, nem venham pra cá querer fazer intriga, rebanho de cão... até a Jake Galinhaal com aquela eterna cara de quem chupou muito, oh beesha dadeira, mas num é que ele tá bem no filme, gente? Num compromete. Claro, num me convenceu como homem porque adora fazer beicinho, MASSSS.... 

Paul Dando, gosto muito dele, merecia mais destaque, mas até atrás da porta gemendo ele dá conta, né... Todo espancado com aquela cara toda metralhada, tadinho... Violinha Davis, alguém dá um Uóscar pra essa mulher, por favor, porque dois minutos de cena de Violeta >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> toda a vida de J-Lawra, beijos. E num mundo que essa adoradora de plugues anaish tem um Uóscar e minha preta Violeta não tem, é demaish pro meu eu. Vou pra Marte, volto quando Weinstein morrer. Só os mais fortes entenderão. RISOS

Meu Hugh Jegueman, gente, fico imaginando uma pirocada desse homem, que é que isso meu filho, VEMNIMIMQUEEUTOUFACEEEOOOOO. TÔ LOKAAAAA!!! Se esse home fosse me esfolar e dissesse OU DÁ OU DESCE, eu já me rasgava a roupa toda, me jogava pra cima dele dizeno "será que tu guenta o fogo da bacurinha da tia, menino? CLARO QUE EU DOU TUDO!" UI! 

O filme ainda tem Terrence Howard, eu não gosto muito dele, mas ele tá bem, como aquele pai que acha que não deve espancar o pobre do retardado do Paul Dano. Maria Belo sempre faz papel de mãe sofrida, né... Mãe que A) Perdeu o filho; B) Perdeu o marido; C) Perdeu os dois; D) Tá loka das ideia. Repare... E a Melissa Leo. OI MELISSA, TUDO BEM, SAINDO DO FLOP AMIGA? Melissa é aquele caso clássico daquela atriz que ninguém viu, ninguém sabe, mas existe, fez 125465456156568641562 coadjuvante e vai morrer coadjuvante, entende? Adoro ela como a mãe que... tá, xô calar minha boca, vai que o povo ainda não viu o filme né?

A trama é um rocambole. A gente acha que é uma coisa e é outra. Uma piriguete mirim filha de Jegueman some no feriado de ação de graças com a filha do amigo - o suspeito é o pobre do Paul Dando, meio deficiente mental ,que andarra num trailer na hora do sumiço. Ele foi adotado pela Leo e tals. O Jegueman ACREDITA que Dando tem a ver, sequestra o pobre,  esconde ele, dá de porrada até altas hora, ameaça de morte e... vá ver o filme. Só que, tipo, ele tem meio que a ver com o sumiço e ao mesmo tempo não tem, entende? Jegueman chama a Jake e ela decide ajudar, só que entra outra pessoa na trama - um padre - depois outra (gente... sério... quando a gente pensa que a gente vai saber tudo vem aquela reviravolta básica que ninguém esperava...). Claro que, quem prestar atenção vai perceber umas coisa estranha, MUITO ANTES DO FINAL, nos diálogos entre uns personagens... Mas até lá, sofram comigo. 

A direção é boa, o roteiro é bom, atuações boas! Não gostei só de umas coisas: 

A) sério que precisarra daquela duração toda? Ninguém sabe mais contar um roteiro de 1:30 ou 2 horas não, gente? Tem horas que fica booooooring.  

B) O final de Jegueman. Achei meio... assim... marromenos. Mas ele tinha que pagar de alguma forma pelos erros que ele fez por querer fazer justiça com as próprias mãos, tudo bem, tarra desesperado, aflito, nervoso, sedutivo, com raiva, quereno me bater, fazer um sexo selvagem comigo e tals... mas a gente sabe que a justiça divina agora anda tão rápido que tá usando banda larga de 90 GB, né povo? RISOS

C)QUEDESGRAÇA de tradução de nome de filme é essa, minha gente? Morre distribuidoras, que eu não sou obrigada!

Aliás todo mundo peca de alguma forma no filme. Peca por ser omisso, peca por ser lerdo, peca por ser doente, peca por não ter filho, peca por ter, peca por ser marido, por ser mãe, peca por ser homem, por não dar atenção aos outros, por ser padre, por ser policial, por ser relapso... gente... PASSADA. Adorei essa porra.

Cotação: 4/5 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...