domingo, 13 de abril de 2014

Henry - O retrato de um assassino - 1986



Por Jason

Os verdadeiros assassinos
O filme Henry - Retrato de um assassino conta a história do serial killer Henry Lee Lucas, que confessou ter assassinado por volta de 600 pessoas. A vida de Henry foi trágica e humilhante desde sempre. Além de ser filho de uma prostituta violenta, que o obrigava a se vestir como mulher para ser humilhado pelas outras crianças e a presenciar as sessões de sexo com os clientes dela, Henry tinha pai alcoólatra, que perdeu as pernas num acidente. O menino foi espancado quando pequeno e perdeu um olho, além de servir sexualmente a seu meio irmão, quando já demonstrava traços de psicopatia.

Aos dezoito anos, Henry foi preso por roubo. Solto, matou a sua mãe e voltou para a cadeia, onde conheceu um parceiro psicopata, Toole. O filme Henry Retrato de um assassino ignora a infância problemática do rapaz e começa justamente a partir dessa parte da vida dele, quando Henry e Toole dividem uma espelunca onde moram e o psicopata se divide entre a matança de todo tipo de mulher e seu trabalho com dedetização. Toole era outro problemático. Ele era classificado como retardado desde criança, abandonou os estudos cedo, seu pai era alcoólatra e sua mãe uma desequilibrada fanática religiosa. Cometeu seu primeiro assassinato aos 14 anos e até a vida adulta praticou outra série de crimes, que incluíram até mesmo uma criança de seis anos, Adam Walsh. Adam, filho do apresentador John Walsh,  foi sequestrado num shopping, levado para um pântano, violentado inúmeras vezes, esquartejado vivo e seu corpo dado de comer aos jacarés. 

Uma sobrinha de Toole, a ex dançarina de boate, Becky, pede abrigo na casa de Toole depois de ser deixada pelo marido. Becky tem um histórico de abusos na infância - o pai a espancava e a estuprava. Becky acaba se envolvendo com o criminoso, que, junto a Toole, passa a ter o hábito de gravar os seus crimes e depois assistir, para apreciarem seus atos bizarros, que incluem estupros, morte por asfixia, esfaqueamentos e toda forma bizarra de assassinato. Está armada uma bomba relógio, já que tanto Toole quanto Becky são cúmplices e aos mesmo tempo vítimas de Henry. São pessoas doentias, a escória da sociedade retratada de uma forma seca, em tom quase documental, pela câmera de John McNaughton, conhecido pelo trash Garotas Selvagens, com Neve Campbell, Kevin Bacon e Denise Richards. 

Corpo de uma das vítimas do maníaco
É a crueza que faz o filme chocar em algumas cenas, como no momento em que um casal é morto dentro de sua casa pelos dois - e a ação é toda filmada por eles, para que possam assistir depois - ou quando Becky é estuprada. Porque do elenco, não se pode esperar muita coisa - são todos ruins. Michael Rooker faz aqui sua estreia como Henry Lee Lucas, pelo qual foi indicado ao Independent Spirit Award de Melhor Ator na época mas não deslanchou na carreira. Rooker, apesar de ter no currículo filmes como Mississípi em Chamas, JFK, Risco Total, entre outros, se virou como podia como ator de TV e recentemente esteve em alta como um dos protagonistas da série The Walking Dead. Ao custo de 100 mil dólares era o que se podia pagar. 

Outro grande problema do filme é o seu roteiro, feito sem muitas informações à época (o script do diretor foi realizado com o que os jornais noticiavam até então) e o filme precisa fazer algumas concessões por causa disso. Falta a construção dos personagens desequilibrados que tiveram infância e adolescência tão problemáticas que resultaram em adultos piores. Não há uma trama policial - as pessoas morrem e ninguém parece se importar com a quantidade de cadáveres pelo caminho. Outro fator interessante é que na vida real, Toole foi preso e condenado à prisão perpetua pelos crimes que cometeu. Becky chegou a fugir de Henry, mas acabou se batendo novamente com o assassino, até ser morta, esquartejada e seus restos mortais encontrados em um campo. No filme, no entanto, Toole é assassinado por Henry e desmembrado, após Toole estuprar Becky, que o ajuda a despachar o corpo. Depois de uma rápida parada na fuga, é a menina que termina sua vida dentro de uma mala na beira da estrada. 

Como visto, a vida real desses assassinos e os relatos de como acabaram com a vida de tantas pessoas são mais aterrorizantes que o filme.

Cotação: 2/5


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...