sexta-feira, 18 de abril de 2014

Need for speed - 2014



Por Jason

O verdadeiro protagonista do filme,
o Ford Mustang Shelby GT500
A franquia Need For Speed é considerada uma das melhores do mundo dos games, e desde 1994 conquistou fãs do mundo todo e já vendeu milhares de cópias a cada edição. É também uma série que precisou se reinventar quando o estilo clássico de corridas e de fuga da polícia cansou, fazendo com que o estúdio responsável pela série - a Eletronic Arts - trouxesse para o público dos games as corridas de rua com carros tunados em 2003 (tão populares nos filmes Velozes e Furiosos). A série retornou atualmente ao estilo que a consagrou e continua fazendo sucesso. É estranho contudo que uma franquia que nunca desenrolou uma trama mais complexa tenha sido alvo de adaptação para o cinema e vitimada pela ânsia dos executivos em fazer dinheiro.

Produzido pela DreamWorks, o filme fracassou merecidamente nos cinemas e não fugiu a regra de todos os jogos de vídeo game para as telonas. Na trama, há uma rivalidade entre os pilotos Dino e Tobey - este dono de uma oficina de preparação. Dino faz um acordo com Tobey para reparar um automóvel, prometendo pagar 500 mil dólares caso ele seja revendido - a máquina é o espetacular Ford Mustang GT Shelby -, que é revendido por 2,7 milhões de dólares. Mais tarde, Dino faz uma aposta em uma corrida: se Tobey conseguisse vencê-lo, ele levaria o restante do dinheiro. Na disputa, Dino empurra o carro do amigo de Tobey em alta velocidade e ele explode, matando-o. Tobey vai preso enquanto Dino se safa por dois anos.

Só carrão: um GTA Spano (amarelo), 
McLaren P1, Koenigsegg Agera, 
Lamborghini Sesto Elemento (preto),
Saleen S7 (prata) e o 
Bugatti Veyron Super Sport
Ao sair da prisão, Tobey pede o Mustang de volta para competir em uma corrida (!) mas, depois de cruzar os estados para participar com outros bólidos - o vencedor, leva todos os possantes - e se apaixonar por uma negociante que embarca com ele na aventura, Tobey acaba se acidentando e destruindo a preciosidade (!). Recupera o carro que estava com Dino no dia do acidente e parte para a corrida enquanto a polícia o persegue. Claro que, previsivelmente, ele irá vencer. É com esse fiapo de trama que o filme chega a sua meia hora final, quando acompanhamos a corrida que inclui fortunas sobre rodas, como Buggatis, Lamborghinis, Koenigseggs Agera e McLarens de rua em alta velocidade.

A tentativa de gerar uma franquia cinematográfica, como a de Velozes e Furiosos, e faturar muito com isso foi por água a baixo por diversos motivos, embora como o visto, os amantes dos bólidos e de velocidade não tenham do que reclamar. As corridas são bem coreografadas e, se não chegam a empolgar, ao menos não fazem feio e são competentes. Mas as peripécias dos personagens são bizarras, pois incluem saltar com o carro (e não quebrar o para-choque mesmo que ele se arrebente); abastecer com o carro em movimento; capotar a 300 por hora (e sair milagrosamente vivo); correr nas areias e estradas de terra sem prejuízo do carro (que não foi projetado para isso) e ser rebocado por um helicóptero durante uma perseguição. O filme é também um veículo de propaganda da Ford para o lançamento do novo Ford Mustang (ele aparece ao final do filme, em vermelho, com direito a close no interior e tudo), além do já citado Mustang GT. Não que isso seja ruim, pois o carro é um ícone americano e cinematográfico (confira o texto abaixo). O problema é que traz consigo um Ford Bronco 1971 e um Ford Gran Torino 1969 - e para os mais atentos, há o novo modelo 2014 da nova Ford F-150 usada para dar apoio a Tobey. Faz também uma sacanagem com uma marca rival, a GM (os vilões chegam a pilotar, em determinado momento do filme, uma picape Chevrolet detonada). 

O extravagante Koenigsegg Agera
Para completar o pacote do desastre, a produção traz Imogen Poots, que faz a Julia, uma personagem que além de retardada tem medo de altura. Aaron Paul saiu da TV da série de sucesso Breaking Bad para demonstrar que é inexpressivo no filme. Para se ter uma ideia, a relação entre os dois se dá praticamente dentro do carro durante todo o filme com diálogos e piadas tão idiotas que chegam a corar. Dos coadjuvantes, nenhum se destaca pois são totalmente descartáveis e sem nenhuma profundidade. Michael Keaton, o organizador da corrida, nada tem a fazer a não ser ficar sentado diante de uma tela, no papel mais inútil de sua carreira. Tamanho descaso só poderia resultar nisso - o filme não encontrou nem o público adolescente, fã do jogo, nem os mais exigentes, nem aqueles que só querem se divertir. Mais sorte da próxima vez. 

Cotação: 1/5

Só vale pelo desfile de bólidos. Quem quiser mais emoção, o melhor é voltar aos jogos e se divertir.




Clássico americano, o Ford Mustang é um astro de cinema e um dos modelos mais populares usados por produções de Hollywood

Não é a toa que o modelo escolhido para protagonizar a maior parte das sequências de corrida do filme Need For Speed foi aquele que é um dos símbolos da sociedade americana. Nascido na década de 60, o Ford Mustang, pouco depois de lançado, já estava presente no filme 007 Goldfinger em sua versão branca conversível. 

Cena de 007 Goldfinger
A combinação única de estilo, desempenho e preço acessível do Mustang no mercado americano criou uma nova classe de carros esportivos, os chamados "pony-cars". Foi o filme Bullitt, no entanto, que imortalizou o modelo naquela que é considerada uma das melhores cenas de perseguição do cinema. A produção, de 1968, traz um Mustang verde, durante o clímax final de nove minutos do filme. 
O modelo usado no filme Bullitt
Mais tarde, ainda na série cinematográfica do agente James Bond, o Mustang voltaria a aparecer, agora em sua versão vermelha em Os diamantes são eternos de 1971. 

O Mustang de 007 Os diamantes
são eternos (1971)
O modelo tinha passado por alterações no visual e também seria estrela do filme 60 segundos (1974). A partir daí até hoje, o carro contaria presença em mais de 3.000 títulos catalogados, incluindo filmes e séries de TV, ora como personagem principal, ora como participação. 

O modelo original do filme 60 segundos (1974)
É o carro sabotado de cor azul que perde o freio em Capricórnio Um (1978)

Capricórnio Um (1978)
um modelo da década de 80 é parte de Starman, o homem das estrelas (1984); 

Starman (1984)
a inesquecível máquina usada por Cherry em Cherry 2000 (1987); 

Mais um, dessa vez me Cherry 2000 (1987)
o carro do policial James Belushi de K9 Um policial bom pra cachorro (1989); 

K9 Um policial bom pra cachorro (1989)
o modelo que é uma verdadeira obsessão para Nicolas Cage na refilmagem de 60 Segundos (2000), com Angelina Jolie, é a versão 1967 do mesmo modelo que aparece em Need for Speed,  Ford Mustang Shelby GT500 'Eleanor', uma prova que a paixão pelo modelo parece maior à medida que ele envelhece. 

O "Eleonor", de 60 segundos (2000)
O Mustang também é o carro conversível de Anne Hathaway no bobo O diário da princesa (2001). 

O Diário da princesa (2001)
Uma versão modificada foi usada no filme Corrida Mortal, de 2006 e sua continuação; o mesmo modelo é pilotado na cena de abertura de Eu sou a lenda (2007), com Will Smith, dentre muitos outros filmes! 

Corrida Mortal (2006)
O Mustang de Eu sou a lenda (2007)
O IMCDB, destinado apenas a catalogar a participação de automóveis na mídia, classifica a participação destes veículos, e o Mustang in movies, é destinado apenas ao famoso modelo, listando todas elas até hoje. Vida longa ao ícone!

Um comentário:

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...