sexta-feira, 4 de abril de 2014

Sem rumo no espaço - 1969



Por Jason

Vencedor do Oscar de Efeitos Visuais (indicado a Melhor Som e Melhor Fotografia) o filme Sem rumo no espaço, lançado em 1969, espanta, não pelo realismo e pelos efeitos datados, mas pela forma como parece uma premonição ao ocorrido aos astronautas da desastrosa missão da Apollo 13, que foi ao espaço um ano depois. Curiosamente, o filme foi lançado no ano em que Neil Armstrong pisou na lua (quatro meses depois) trazendo esperanças não concretizadas do sonho de colonização espacial. Em virtude disso, a visão pessimista do filme em questão possa ter afastado as audiências, já que o filme é considerado um fracasso de público.

No entanto, no filme, como no caso da Apollo 13, três astronautas partem em missão no espaço, mas um problema na nave os impede de retornar. Em Terra, a Nasa decide inicialmente abandoná-los a própria sorte, até que, com a insistência de Gregory Peck, começa uma corrida contra o tempo para trazê-los de volta dentro de um prazo mínimo pois o suprimento de oxigênio e os mantimentos dentro do veículo espacial estão acabando. As semelhanças acabam por aqui. Os astronautas são proibidos de tentar consertar o veículo pela falta de segurança. A decisão final é construir uma nave capaz de trazer os três homens em segurança, mas o único veículo disponível leva apenas um passageiro e precisa passar por adaptações.  

Ocorre que um furacão acaba atrapalhando a operação de lançamento. O momento de maior tensão é quando os astronautas, desesperados, tentam consertar a nave, um dos astronautas acaba se acidentando e desaparecendo no espaço e o ar começa a se esgotar, quase matando os outros dois por asfixia. Ironicamente, entra em cena a União Soviética, cujo módulo tenta emparelhar com o módulo americano para tentar um resgate que por pouco não acaba mal sucedido. 
   
A produção foi baseada em um livro do escritor Martin Caidin de "O homem de 6 milhões de dólares" e reza a lenda que o filme fez a Nasa rever questões pertinentes de segurança dos astronautas. É louvável a preocupação em tentar tornar tudo real e a seriedade do projeto, com diálogos inteligentes e atuações convincentes. O filme traz além de Gregory Peck, o jovem Gene Hackman, James Franciscus (de De volta ao Planeta dos Macacos) e Richard Crenna (da trilogia Rambo) como os astronautas perdidos e em boas caracterizações. Respeita as leis da física (não há som no balé nas naves espaciais com a Terra o fundo). De vez em quando é possível ver algumas linhas segurando as maquetes das naves espaciais e os astronautas para fazê-los flutuar, problema menor perto do seu ritmo, tão lento quanto dois astronautas boiando no espaço.

Cotação: 2,5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...