sábado, 14 de junho de 2014

Coraline - 2009



Por Jason

Coraline traz a história de Coraline Jones, uma menina que se muda com seus pais para uma enorme e velha casa. Os pais são relapsos e não lhe dão atenção, preocupados com coisas do trabalho. Coraline conhece um menino da vizinhança, Wybie, que lhe dá uma boneca velha, e tem a companhia de um gato preto horrível. Entediada e mal criada, tenta chamar atenção dos pais, até que o pai sugere que ela explore a casa. A menina encontra uma porta, aberta por sua mãe e, durante a noite, Coraline é levada por essa porta a uma outra dimensão.

Lá, tudo é mais colorido e parece mais bonito que a sua vida real e ela tem contato com outros pais, que são versões alternativas dos seus pais reais. Essas versões possuem botões no lugar dos olhos. Os dois se revelarão, na verdade, bruxos que aprisionam crianças que são infelizes em suas famílias. Para fugir de lá, Coraline terá a ajuda do gato preto, odiado pela mãe alternativa, do amigo e dos espíritos de três crianças que perderam os olhos para derrotá-los.

A produção traz dublagem de Dakota Fanning e Teri Hatcher no original e uma direção de arte caprichada. Os mundos são arquitetados de maneira igual, mas coloridos de modo diferente: o mundo real é sombrio, insosso e sem graça, representado por uma casa decrépita de 150 anos habitada por vizinhos bizarros e estranhos. Os vizinhos, aliás, se dividem entre duas velhas que faziam números musicais - uma gorda e outra com peitos enormes - e que usam de poderes mágicos, segundo elas, para ajudarem Coraline; além de um velho acrobata que está treinando camundongos para apresentações circenses.

Já a outra dimensão possui além de uma casa colorida e toda iluminada, um número circense e apresentações teatrais, que acabam se tornando um pesadelo quando a bruxa se revela querer ficar com Coraline para sempre. Mas nem o visual bem acabado e criativo consegue sustentar o 
marasmo da produção, tediosa para todas idades, sem humor e graça, com seu ritmo parado e problemático. A própria personagem não é divertida e não é muito simpática, ao passo que os coadjuvantes, excetuando o gato preto, não conquistam o interesse do espectador, resultando numa produção que vale apenas pelo visual caprichado.

Cotação: 2/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...