segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Guardiões da Galáxia (2014)





Por Lady Rá

Então Lady Rá foi lá conferir o novo sucesso de público e crítica da Marvel. Confesso que quando anunciaram esse filme, senti cheiro de flop, mas meu olfato estava defeituoso. O filme tem feito sim, muito sucesso. E o filme é sim, bem legal. Legal, mas não é a última água de coco de praia. Guardiões da Galáxia consegue com uma trama simples e uma reciclagem de  personagens estereotipados, clichês de filmes clássicos e  muitas piadas, acrescentado a esse bolo uma fotografia linda e uma deliciosa trilha sonora, criar um ótimo clima de aventura. O filme é, acima de tudo, um bom entretenimento.

A trama acompanha um aventureiro chamado Peter Quill (Chris Pratt) que foi abduzido por alienígenas após a morte da mãe, e que, ao tentar roubar um objeto que é identificado como “orbe”, vira alvo de uma grande caçada. O caminho dele se cruza com o de Gamora (Zoe Saldana), filha adotiva de Thanos, com um passado obscuro e que passa para o time dos mocinhos (não, isso não é spoiler), Drax (Dave Bautista), um guaxinin Rocket Con (voz de Bradley Cooper) e Groot, uma espécie de árvore falante (voz de Vin Diesel). Todos são uns renegados e desajustados, todos tiveram um passado difícil e todos têm interesses em comum.  Eles acabam se unindo para salvar um planeta de ira de Ronan (Lee Pace) que quer se apoderar do orbe para destruir um planeta e se tornar poderoso.



É uma trama bem simples, com desfecho óbvio, mas o filme não deixa de divertir e emocionar. Os nossos heróis passam por situações bem difíceis ao longo dessa jornada. Talvez o que menos tenha tido um desenvolvimento decente tenha sido Drax, na maior parte do tempo ele mais atrapalha do que ajuda e não faz nada de muito heróico. Peter Quill é um tipo rebelde, que muito me lembra Capitão Kirk de Star Trek, que acaba por se tornar um grande herói e líder de um grupo, o personagem é até carismático, mas Chris Pratt é um ator médio e é sempre ofuscado pelo divertidíssimo Rocket Con, um guaxinim completamente amoral e sarcástico, mas que no fundo tem um grande coração. Destaque para Bradley Cooper que consegue traçar a personalidade do personagem pela voz. E temos também a árvore Groot, que mesmo repetindo sempre a mesma fala se mostra um ser mais doce e admirável do filme e no último ato você vai entender o porquê. Os dois personagens feitos em CGI são os melhores do filme e protagonizam muitos dos melhores momentos (Groot inclusive tem uma cena que lembra a surra que Hulk dá em Loki no filme Os Vingadores), por fim, temos Zoe Saldana com sua Gamora que parece um misto de Tenente Uhura com Neytiri de Avatar, com pele verde.



O filme jamais se leva a sério e é recheado de piadas do começo ao fim. Mas o que prejudica o resultado final é a falta de um vilão mais interessante. Lee Pace bem que tenta se impor com seu vozeirão, mas fica difícil com um vilão tosco e sem personalidade. Aliás, o desfecho desse deixa um tanto a desejar. E, por mais que o filme não se leve a sério, o recurso usado por Peter Quill no terceiro ato para barrar Ronan é pura vergonha alheia. No filme há também algumas participações especiais e sem muita expressão de Benício Del Toro, Glen Close e Jonh C. Riley. 

Apesar de alguns pontos negativos, Guardiões da Galáxia é um filme leve e divertido que merece ser visto e que tem tudo para conquistar uma nova geração de fãs. Vale pelo clima de aventura e nostalgia. Vale pela empolgante trilha sonora e o visual colorido. Vale para lembrar ao público, que cinema é, acima de tudo, diversão e escapismo.

Nota: 3,5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...