domingo, 7 de setembro de 2014

A Culpa é das Estrelas (2014)






Por Lady Rá

Hoje resolvi dar o ar da graça para comentar esse sucesso de público de crítica que a A culpa é das estrelazzzzzzzzzzzzzzzzzzzroinc (entrando em estado de hibernação). Olha, Lady Rá foi com toda boa vontade do mundo assistir a essa draminha água com adoçante por dois motivos: 1) O povo estava falando bem do filme; 2) Eu simpatizo com Shailene Woodley desde que assisti Os descendentes. Acontece que o resultado foram duas horas de tortura psicológica com alguns momentos de alívio. Que filme nhé!

A trama vocês já devem conhecer, dois jovens com câncer se conhecem em um grupo de apoio para adolescentes que sofrem da doença e não demora muito a se identificarem, se tornarem amigos, depois namorados, viveram uma linda história de amor até que alguém morra nessa bagaça. ZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzZZZZZZZZZ.

O motivo do sucesso é que a história de Hazel (Shailene Woodley) e Gus (Ansel Elgort) é contada pelo olhar do jovem que quer viver cada momento como se fosse o último, não porque estão doentes, mas porque são jovens. Eles estão numa fase da vida em que queremos viver tudo de maneira intensa. E o amor atinge profundamente esses dois jovens que não sabem se vão morrer dali uns anos ou em 10 minutos. A ideia é boa, mas o problema está na sua execução.

O roteiro que se baseia do best-seller homônimo de John Green trata a uma doença séria de forma colorida, o romance é um conto de fadas e os personagens são irreais de forma que não pude me identificar com nenhum deles. Especialmente Gus, o garoto é de uma simpatia excessiva que soa falso (o seus pais são ainda mais surreais). Hazel é a típica adolescente inteligente e de bom gosto. Há momentos que eram pra ser bonitinhos, mas soam terrivelmente cafonas como o jantar romântico em Amsterdã comparando champagne no estrelas, ceninha de beijo sendo aplaudida por desconhecidos, really? Os momentos de humor são forçados, como uma cena em que Gus deixa um amigo destruir os objetos do seu quarto para extravasar a raiva, enquanto ele conversa tranquilamente com Hazel.

Se há pontos positivos, um deles o casal protagonista, os atores são realmente bons e se esforçam para humanizar seus personagens, especialmente Shailene Woodley. Ela tem todos os aspectos de “heroína de filme adolescente” que agrada aos fãs. Aliás, sua Hazel não é um songa monga insuportável como certa estudante que se apaixona por vampiros brilhantes. Aliás, Hazel se apaixona, mas não coloca o amado acima de tudo e de todos. O filme tem alguns belos momentos, especialmente quando a mãe de Hazel (vivida pela ótima Laura Dern) entra em cena, esta talvez seja a personagem mais humana do filme. Em contrapartida, o pai de Hazel é apenas um adorno. Sem mencionar a bizarra participação de Williem Dafoe como um escritor.

Em resumo, quase tudo soa falso em A Culpa é das Estrelas, desde o tratamento dado a doença ao conto de fadas vivido pelo casal protagonista.

Nota: 2/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...