segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Chef (2014)



Por Lady Rá



Chef é uma daquelas gratas surpresas da recente safra de filmes do verão americano  - no cenário independente - em meio a tantos blockbusters é sempre bom ver um filme modesto, leve e que entretém da mesma forma que o pesos pesados de orçamento milionário. Talvez até mais.  Aqui temos Jon Favreau (diretor de Homem de Ferro 1 e 2) estrelando, escrevendo e dirigindo uma daquelas velhas histórias de volta por cima, em que o sujeito de vê na pior e com o apoio daquelas de amigos, tenta se reerguer começando do zero. O filme não traz nada de novo, mas funciona, graças ao carisma do protagonista e de seus colegas de elenco.


Favreau vive Carl Casper, um chef de cozinha talentoso, mas que vive um momento de crise. Ele trabalha em um restaurante badalado, mas enfrenta problemas com seu patrão, o dono do restaurante, que só quer ver seu negócio funcionando e constantemente se metendo no trabalho de Carl, até que este recebe uma crítica maldosa de um crítico gastronômico o que acarreta sérios problemas na sua vida profissional. Carl também enfrenta problemas pessoais, está separado da esposa e, apesar de ser amado pelo filho, não consegue lhe dar a atenção que a criança merece. Ele acaba tendo um colapso nervoso em público, ficando conhecido no país inteiro através das redes sociais. Passado o momento de crise, com apoio daqueles que sempre o amaram, Carl tenta  recomeçar.

A partir daí, Chef flerta com o gênero road-movie e Carl vai crescendo como ser humano enquanto reecontra o prazer em sua profissão. A trama é bem simples, com desfecho previsível, porém se desenrola de maneira agradável, graças ao roteiro preciso e direção eficiente, sem perder tempo com banalidades, Favreou parece se divertir explorando esse fantástico mundo da culinária. 

Os pontos negativos do filme talvez seja a forma como as personagens femininas são exloradas, Scarlett Johansson aparece como um mero enfeite de cenário, está ali para ser a garçonete sexy com flerta com Carl, lhe dando conselhos óbvios que qualquer personagem poderia lhe dar. Sofia Vergara aparece como a super simpática ex-exposa, e só Deus sabe o que levou Carl a se divorciar de uma mulher tão boa e compreensiva, além de linda. Na ala masculina, temos um cameo de Robert Downey Jr., ainda ligado no modo Tony Stark, que está ali apenas para chamar público, seu personagem é totalmente descartável, assim como sua colega da Marvel, Scarlett Johansson.

O filme se sustenta na relação de seu protagonista com seu filho inteligente e espirituoso Percy (Emjay Anthony), e ainda conquista o telespectador pela forma como o diretor captura a beleza dos pratos e a arte de cozinhar. Longe se der uma obra-prima, Chef ao menos diverte, é como comer uma deliciosa comida caseira depois de passar meses almoçando em um restaurante de comida a quilo.

Nota: 4/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...