quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Hellraiser 2 - Renascidos das trevas - 1988



Por Jason

Como o primeiro filme da série foi um sucesso, arrecadando mais de vinte vezes seus orçamento em bilheterias, era inevitável que houvesse uma continuação de Hellraiser. Isso trouxe vantagens e desvantagens a tiracolo. As vantagens começam com um orçamento melhor para a parte técnica e com o fato de que os personagens já foram apresentados no filme anterior, o que dispensaria maiores apresentações. A maior desvantagem, porém, é que, como visto no filme, alguém esqueceu de fazer a lição básica de casa - e deu no que deu.

O filme começa de onde parou o primeiro. Kirsty, a sobrevivente do primeiro filme, agora está internada em um hospital psiquiátrico e ninguém acredita em sua versão para o que aconteceu com ela. O roteiro, de maneira imbecil, comete o erro de recapitular tudinho, trazendo toda a tosqueira do primeiro filme em flashback, como se o extenso diálogo da menina não fosse o bastante para que o espectador entendesse como ela foi parar lá. Kirsty diz para quem quiser ouvir que um colchão encontrado na sua casa e onde Julia, sua madrasta, morreu, deve ser destruído. O diretor do hospital, o doutor Channard, que estudava os cubos "mágicos" muito tempo antes, se interessa e leva o colchão para si. É através dele e do sangue de um infeliz doente mental que ele traz de volta Julia.

A sequência é provavelmente uma das melhores do filme. Toda a maquiagem, unida a uma profusão de sangue falsos, enchem os olhos. Nada mais insano e bizarro que um doente mental se arrastando pelo chão coberto de sangue - enquanto uma criatura feminina sem pele se arrasta para atacar e comê-lo. Igualmente eficiente é a direção de arte e os cenários, com seus labirintos confusos e seu hospital cuja ala de manutenção já parece por si só o próprio inferno. No momento em que Julia volta, Kyle, um médico do hospital, presencia a cena e decide ajudar Kirsty a fugir. Mas ela, que recebeu uma mensagem do além, acredita que o pai esteja vivo pedindo socorro e decide entrar na outra dimensão. Em paralelo, uma interna do hospital, Tiffany, que perdeu a voz devido a um trauma, abre o cubo, permitindo a passagem de Channard, Tiffany e o retorno de Julia para o inferno, além de Kirsty, que segue o rastro deles. E é lá onde vão rolar as maiores confusões dessa turma (!).   

O descuido com o roteiro do filme, vítima da pressa em lançar uma sequência para pegar onda no sucesso do primeiro, é absurdo. Kyle (William Hope, ator de Aliens, o resgate; Capitão América dentre outros) mal chega a se desenvolver como interesse amoroso de Kirsty e desaparece da trama após ser sugado por Julia num beijo assassino. Channard vai para o além e acaba virando um capeta manda chuva por lá e os cenobitas, que seriam o atrativo do filme, são eliminados rapidamente em uma briga ordinária com Channard, sem que pudessem ao menos saírem no tapa. Para completar, o filme passa metade de sua duração com as personagens Tiffany e Kirsty gritando e correndo para lá e para cá dentro de um labirinto. É risível como, depois de muita correria, Kirsty encontra o seu tio Frank, do nada, descobrindo que era ele o autor da mensagem e ele rapidamente é despachado do roteiro. 

Some a isso o fato de que o filme parece ter saído de uma edição mal sucedida de A hora do pesadelo, tamanha a semelhança do vai e vem entre mundo real e a outra dimensão e teremos uma noção do desastre. O final, em que Kirsty usa a roupa de pele de Julia para salvar Tiffany, é uma dessas soluções que, diante de tanta coisa ruim, acaba sendo só mais uma no bolo. Para jogar a pá de cal, o filme ainda dá origem aos cenobitas e ao icônico Pinhead, que seriam na verdade humanos transformados no além por uma verdadeira máquina alien de tortura - assim como o personagem Channard, tomado por uma série de tentáculos. Seria trágico - se não fosse cômico. 

Cotação: 1/5


Filme completo aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...