segunda-feira, 28 de março de 2016

A vingança está na moda - 2015





Por Jason


Kate Winslet, Judy Davis, Liam Hewsworth, Hugo Weaving e Sarah Snook estrelam esse filme baseado na obra The Dressmaker, de Rosalie Ham, sobre uma mulher elegante que acaba de retornar de surpresa na calada da noite para sua terra natal, uma vila rural na Austrália. Logo ao chegar, Myrtle 'Tilly' Tunnage (Winslet) se bate com o sargento Farratt (Hugo Weaving), um velho que gosta de se vestir de mulher, e encontra a casa onde sua mãe Molly (Judy Davis) vive atolada de lixo e completamente louca.

O lugar é o fim do mundo, onde todo mundo vive por viver, mulheres solteiras almejam um homem com quem possam sair dali e as que estão lá estão todas surtadas - uma delas, que perdeu o filho Stewart 25 anos antes, o qual Tilly foi acusada de matá-lo, é obcecada por limpeza e seu marido a dopa para poder estuprá-la à noite. O retorno de Tilly agita toda a vila, tal qual a Tieta de Jorge Amado retornando para sua terra natal, com a diferença que aqui Tilly costura vestidos deslumbrantes e cheios de cores para as mulheres acostumadas ao tom (e a vida) monocromático da vila.

A primeira a usufruir de seus talentos é Gertrude (Sarah Snook) que faz a típica transformação clichê do patinho feio para uma bela e bem vestida mulher - e que quer casar com um rapaz da alta sociedade a contra gosto da sua sogra, que faz de tudo para impedir. Sua transformação termina com uma mulher rasa e fútil da alta sociedade, tal qual sua sogra. Tilly não tinha uma vida fácil, era maltratada pela professora, pelos meninos da escola e sua relação com a mãe é desastrosa. Aos poucos, com a habilidade para o corte e costura herdados da mãe, Tilly causa um rebuliço em toda a vila enquanto tenta esclarecer as circunstâncias do seu passado que a levaram a ser acusada de assassinato aos dez anos de idade e assim terminar sua vingança.  

O filme é todo de Kate Winslet. Como Tilly, sua personagem surge como uma vênus incendiando os homens da cidade. Sensual, elegante, confiante e deslumbrante, mas ao mesmo tempo frágil e perigosamente vulnerável por ser seduzida pelo bom moço sedutor Teddy (Liam), Kate consegue transpor toda a dimensão de uma personagem amargurada fugindo de seu passado na mesma medida que esconde suas reais intenções com a população local. O elenco de suporte é bom - Liam nunca prestou, mas não compromete ao passo que Judy Davis é excelente e Sarah Snook já mostrou  ser competente em outros trabalhos. Outro destaque é a opção pela fotografia em tom de areia, quebrada pelos figurinos impressionantes cheios de cores e de vida que Tilly costura - todos muito bem elaborados, que rendem contrastes também com a forma de trabalho de uma rival da protagonista que aporta no vilarejo. 

Só que o filme parece nunca encontrar o tom certo entre comédia e drama, problema notável de roteiro e da incompetência da direção. Há reviravoltas descabidas, coisas que acontecem do nada e mudam o rumo da trama - o terceiro ato do filme é problemático, em ritmo, em fechamento de arcos -, personagens que morrem repentinamente e nada é sentido pois tudo parece ser resolvido às pressas. Mas Kate está lá - e vê-la em cena em um filme menor do que seu talento é sensacional. 

Cotação: 2/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...