segunda-feira, 19 de junho de 2017

Uma sepultura na eternidade - 1967





Por Jason

Baseado na minissérie britânica Quatermass and the Pit e produzido pela Hammer, o filme traz o Prof. Bernard Quatermass (Andrew Keir) se deparando com um mistério em uma escavação para ampliação do metrô de Londres. Durante a operação é encontrado uma série de crânios e esqueletos e um objeto que parece alienígena, formado por uma liga metálica mais resistente que o diamante. Logo, alguns trabalhadores que tem contato com a coisa começam a ter estranhas visões e a surtarem devido a uma onda de energia que o objeto emite.


Nesse contexto, um estudo revela que os crânios datam de um período de pelo menos cinco milhões de anos anterior ao surgimento do homem como conhecido. O lugar em que foram encontrados sempre foi conhecido por ser problemático, apresentando supostas manifestações envolvendo visões e energia sobrenatural. Ao investigarem a nave, descobrem criaturas fossilizadas insectóides com chifres. A teoria do professor é que os aliens estavam fugindo de seu planeta - uma visão corrobora a tese de que eles vieram de Marte - mas encontraram uma atmosfera ruim para eles. Em virtude disso, tentaram causar uma mutação ou fazer uma colonização, o que resultaria no homem como conhecemos. O professor então tenta defender que a humanidade pode ter surgido de um acidente envolvendo os aliens inteligentes, mas é contrabalanceado pela teoria de que os alemães estavam produzindo experiências com insetos e seres humanos durante a guerra mundial, razão pelo qual tentam esconder suas explicações para não causar pânico na população.

A série, transmitida pela última vez entre 1958 e 1959 pela BBC, é tida como referencial para a obra de Stephen King e John Carpenter. A parte interessante fica por conta da trama envolvendo experiências genéticas alienígenas, cujo conceito é sólido e ainda usado em muitas outras produções de TV e cinema que se seguiram. Quatermass conclui que, em sua fase mais primitiva, a humanidade foi visitada por essa raça de marcianos. Alguns macacos e pré-humanos primitivos foram retirados e geneticamente alterados para dar-lhes habilidades, como telepatia, telecinesia e outros poderes psíquicos. Eles foram então devolvidos à Terra, mas o artefato enterrado, uma das naves que os transportavam, acabou sofrendo uma queda no final da jornada. Com o seu mundo natal morrendo, os alienígenas tentaram mudar a humanidade mas foram extintos antes de completarem seu trabalho. À medida que a raça humana criou e evoluiu, apenas uma porcentagem manteve suas habilidades psíquicas, que surgiram apenas esporadicamente. Durante séculos, a nave enterrada ocasionalmente desencadeou as habilidades latentes, o que explicaria os relatos de poltergeists; não por acaso, as criaturas com chifres se assemelhariam a demônios e isso teria implicações até mesmo na criação de uma cultura religiosa nas sociedades humanas primitivas.

O filme começa bem, despertando curiosidade no primeiro ato, mas se arrasta no segundo. Se o plot remete a Eram os deuses astronautas, ele escorrega no terceiro ato, ao transportar para a tela o resultado de toda a confusão - falta uma dimensão maior ao problema e na sequência de destruição. Claro que estamos falando de um filme de baixo orçamento e com efeitos especiais precários da época. Os atores, como a maioria na época, atuam de forma teatral. Talvez uma refilmagem não fizesse mal.

O filme está disponível no youtube.

Cotação: 2/5



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...