quarta-feira, 5 de julho de 2017

O Exterminador do Século 23 - 1984



Por Jason

Jack Deth (Tim Thomerson) é uma espécie de policial/caçador na sombria Los Angeles do futuro. Ele se tornou obcecado perseguindo criminosos malignos que usam poderes hipnóticos poderosos para converter as pessoas numa espécie de zumbi, criaturas conhecidas como trancers. Um desses criminosos conseguiu escapar através do tempo e está solto em 1985. Deth então é enviado no tempo para pegá-lo  - o vilão transportou sua mente para o passado e está usando outro corpo de um detetive da polícia. Deth é enviado munido de um revolver 38 e um relógio que pode parar o tempo por dez segundos. Ao acordar, aparece no apartamento ao lado de Leena, que não entende o que está havendo com ele. 


Essa podreira traz Helen Hunt numa trama de ficção que envolve viagem no tempo nos moldes de O exterminador do futuro, com uma ambientação futurista capenga chupada de Blade Runner, uma trama de transporte mental no tempo que deve ter inspirado XMEN Dias de um futuro esquecido, além de recursos de efeitos especiais que provavelmente guiaram as irmãs Lilly e Lana Wachowski para o seu maior produto - Matrix. Isso porque quando Deth aperta o relógio, o tempo para ao redor e o filme ganha toda a ação em câmera lenta, com direito ao foco na trajetória da bala, uma prova de que em Hollywood nada mais se cria, tudo se copia. Ou, em alguns casos, se aperfeiçoa. 

Os efeitos, claro, são paupérrimos, como convém em uma produção de baixo orçamento (foram 400 mil dólares e o filme ficou pronto em uma semana), e ficam mais evidentes na ambientação da cidade de Los Angeles do futuro, onde parte dos prédios foi tomada pelas águas do mar. E o que dizer do primeiro trancer encontrado, uma velha zumbi com ares de travesti dentro de uma lanchonete? O filme não funciona em nada do que se propõe, o tom de comédia é descompassado, a edição horrível, as atuações péssimas e o roteiro tem mais crateras do que a superfície lunar. Mas Trancers deu ao público além de uma jovem Helen Hunt um "assistente do departamento de arte" que se tornaria um diretor bem conhecido - Frank Darabont, diretor de "O Nevoeiro" e "Um Sonho de Liberdade". É ver para crer.

Cotação: 0/5



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...